100 Vantagens do Trabalho Energético

100 Vantagens do Trabalho Energético


A humanidade conhece e aborda milenarmente sobre as bioenergias. Ou seja, a energia que flui por dentro de mim e de você pode ser controlada, expandida e utilizada de acordo com o nível de domínio do praticante. Segundo a Conscienciologia, isso é possível sem a necessidade de rituais, do uso da imaginação ou de qualquer outra muleta nesse processo.

Mas qual a vantagem em dominar minhas próprias energias? Caso você tenha esse questionamento, segue uma listagem com 100 vantagens, fora muitas outras, para entender a relavância evolutiva desse tema. FRASE xxx.


1.    Abertismo. A percepção e a vivência das energias faculta o abertismo do indivíduo para um contato com outras dimensões (multidimensionalidade) e para a seus outros corpos de manifestação (multiveicularidade), sobrepairando a maioria da população terrestre ainda imatura e ignorante quanto as próprias parapercepções.

2.    Alcova. O domínio energético permite que a alcova, ou base física, sede do corpo humano nas projeções e nas seções afetivo-sexuais, tenha uma blindagem energética frente as energias intrusivas e assediadoras na função de defesa local. Você mantém seu ambiente limpo de energias tóxicas e consciências patológicas?

3.    Animismo. Pelo fato do domínio das energias ser de base anímica, isto é comandado pela própria vontade, dá ao praticante autonomia e desenvoltura sem depender de mais ninguém. Na hora dos problemas não há dependências de “muletas” externas como médiuns, do amuletos, de gurue e nada do gênero.

4.    Anonimato. Assim como a tenepes, o controle energético permite a auto-assistência e a assistencialidade interconsciencial e ambiental sem chamar a atenção intrafísica para si. É possível ser um agente em favor dos outros sem qualquer tipo de reconhecimento, o que potencializa o valor da assistência.

5.    Profilaxia. Frente as técnicas energéticas o Estado Vibracional (EV) é um recurso profilático, ou seja desempenha um papel preventivo sobre as mais diversas ocorrências e situações, sempre atuando de modo pró-amparo e pró-segurança. Do ponto de vista multidimensional, o EV é capaz de prevenir assédios espúrios, descompensações súbitas e situações que possam desencadear acidentes em geral. O Estado Vibracional é mais vacina do que remédio.

Você ainda usa o EV somente na necessidade?
Ou já vem dando menos trabalho aos amparadores?

6.    Ativação Energética. O trabalho energético atua como um organizador energético dos chacras, promovendo o equilíbrio de vórtices desregulados e bloqueados. Estima-se que haja 88.000 pontos de energia ao longo do corpo e que são trabalhados “simultaneamente” na aceleração máxima do energossoma promovido pelo Estado Vibracional.

7.    Qualificação. O desenvolvimento do corpo energético (energossoma) atua como um qualificador geral “enxaguando” e limpando energias indesejáveis. Assim como a limpeza física ajuda na manutenção da saúde, a movimentação energética é o limpador geral que atua desde questões mais básicas até as mais complicadas.

8.    Flexibilidade. O trabalho contínuo das energias torna o energossoma flexível e muito mais fácil de ser mobilizado. Dessa forma, tornando mais eficiente às práticas energéticas em geral. A tendência é que quanto mais é que quanto mais flexível for o energossoma, mais forte será todas as manobras fundamentais (circulação, absorção e exteriorização). Suas energias são fáceis de manejar, ágeis e maleáveis?

9.    Bem-estar. As energias produzem certo bem-estar íntimo ao praticante, por vezes gerando sensações indescritíveis e pacificadoras. O equilíbrio dos múltiplos corpos (holossomático) provocam efeitos benéficos independentemente da idade, do sexo, da formação cultural e de questões gerais. Entenda que ao invés de temer a movimentação das energias ela gera saúde e vida.

10.    Energopresencialidade. Com o passar do tempo, a força presencial é uma das mudanças mais perceptíveis da catálise feita pelas energias. É muito comum ver uma pessoa “apagada” e inexpressiva passar a por uma metamorfose silenciosa que a torna mais notada e apresentável. Muda-se a energia, muda-se quase tudo.

11.    Mentalsomática. A potencialização das energias pessoais são capazes de gerar o “superaquecimento sadio” do coronochacra e do próprio mentalsoma. Com isso, evidenciando o poder da energia guiada pela vontade sobre o veículo mais sutil e sofisticado que possuímos.

12.    Limpeza. A mobilização intensa de energias atua como um poderoso “lava-jato” das energias pessoais gravitantes excluindo formas-pensamentos (morfopensenes) indesejáveis e pensenes (pensamentos, sentimentos e energias) desequilibrados. A energia bem trabalhada é prodígio para a desintoxicação.

13.    Autovigilância. A prática contínua gera a manutenção do Homo sapiens energovibrator em uma condição de autovigilância energética ininterrupta. Assim que algo no campo energético se altera, a percepção é imediata e corrigida se necessário. Ser autovigilante sem ter uma postura de alienação é algo raro e sofisticado.

14.    Tenepes. Com o aprimoramento das manipulações energéticas, melhorando o parapsiquismo e a potência pessoal, ocorre uma capacitação natural para o início das práticas da tenepes que é uma forma de assistência contínua e diferenciada. Da auto-assistência até a policarmalidade.

15.    Efeito Halo. A mobilização das energias gera um efeito halo tanto no corpo energético como no ambiente e por vezes é o suficiente para formar um campo energético pró-assistencial ainda que não seja a intenção. Os efeitos das energias podem ser positivamente inesperados e surpreendentes.

16.    Fisiologia. As práticas acabam gerando efeitos sadios na fisiologia dos nossos diversos corpos (holossoma). Em relação ao corpo físico pode-se citar, por exemplo, fora muitas outras ocorrências, a aceleração da digestão, reorganização cerebral, diminuição dos batimentos cardíacos, suspensão da adrenalina, eliminação de pequenos distúrbios, entre outros.

17.    Lucidez. Na parafisiologia, o Estado Vibracional extrafísico e as demais manobras melhoram a lucidez e o raciocínio no estado projetivo, expandindo sobretudo as parapercepções durante as suas experiências. O hábito de mexer as energias enquanto acordado é transferida para quando há experiências multidimensionais.

18.    Lastreamento. Nas projeções lastreadas que dificultam a locomoção e a desenvoltura pelo excesso de energossoma, o trabalho energético atua como um sutilizador das manifestações pelo psicossoma e assim minimizando seu lastreamento.

19.    Multiplicador. É difícil distinguir todos os efeitos gerados pelas bioenergias. Este autor, por exemplo, já teve um EV espontâneo devido ao Estado Vibracional feito individualmente por uma pessoa a certa distância, fato reconhecido pela mesma ao trabalhar as energias com os olhos fechados. Quanto mais energia você movimenta maiores serão suas capacidades de realização.

20.    Extrapolacionismo. O desenvolvimento energético predispõe ao praticante ter extrapolações parapsíquicas diversas e marcantes que eivdenciam o próximo nível que pode ser alcançado se hover investimento e dedicação. As extrapolações podem trazer enorme vislumbre sobre o que é possível sentir, vivenciar e desenvolver. Os amparadores já investiram em você?

21.    Energo-inexistência. A prática regular das energias torna-se um antagonismo óbvio e preventivo contra a ausência energética e as suas conseqüências nocivas. Dessa forma, o indivíduo deixa de lado o apagadismo, a autodefesa ineficiente e as intoxicações ininterruptas.

22.    Melin. Uma pessoa que possui energias pró-ativas não deve sofrer de melancolia profunda. Por mais difícil que seja uma situação, o trabalho energético somado a intencionalidade sadia sempre trazem apaziguamentos confortantes, ainda que temporários. Quanto mais forte as energias mais profundo tende a ser as renovações pessoais.

23.    Paratecnologia. Por diversos momentos e razões (aprendizados, docência conscienciológica, entre outros) o praticante pode receber o auxílio de paratecnologias diversas capazes, por exemplo, de potencializar a exteriorização, os comandos mentais e o desempenho em geral. Apesar das paratecnologias serem artefatos pontuais, de curta duração, se tornam realmente eficazes em quem já tem certo traquejo energético.

24.    Autopesquisologia. A partir de suas práticas energéticas é possível conhecer um pouco mais sobre si mesmo. Exemplos: Seu traço de autovitimização diminui a potência do seu EV? A desorganização o impede trabalhar razoavelmente as energias? Sua persistência contribui para a criação do hábito bioenergético? O seu Estado Vibracional, de certa forma, mostra quem você é.

25.    Sinergia. A manutenção de um energossoma equilibrado juntamente com pensamentos e sentimentos (pensenidade) voltados ao discernimento e a assistencialidade potencializa o sinergismo com os amparadores extrafísicos que o enxergam como um ponto de arrimo interdimensional.

26.    Consciencioterapia. A remissão de muitos problemas e distúrbios pode e deve ser auxiliada pelo trabalho energético. A prioridade de manter-se de modo mais equilibrado é um recurso autoconsciencioterápico de grande valia. O ideal é a consciência ser o sua própria cobaia e terapeuta. EV é EVolução.

27.    Desperticidade. O domínio energético é o primeiro grande passo, multidimensionalmente falando, para a consolidação enquanto ser desperto lúcido e interassistencial na vida humana. O descontrole energético abre brechas para todos os tipos de intrusões assediadoras. Desperticidade: refratariedade homeostática.

28.    Macrossoma. O controle das energias provavelmente deve influir positivamente quando se nasce com um corpo adaptado para seu propósito existencial. Uma hipótese que pode ser levantada é se existe algum macrossoma específico em realçao as bioenergias. As energias potencializam o corpo humano.

29.    Dupla. Perante os relacionamentos interconscienciais, as energias podem atuar como na manutenção de um clima positivo para que ambos tenham mais qualidade de vida. O relacionamento ideal, a dois, é o da dupla evolutiva onde ambos os parceiros mexem as energias ao longo do dia.

30.    Desviacionismo. Trabalhar com energia não é garantia de completismo existencial. No entanto, pode servir como forma de não cair em desvios espúrios da proéxis como, por exemplo, assédios possessivos ou surtos de imaturidade. A tendência é que a vida tenha os “caminhos abertos” em função da sua ativação maior.

31.    Escritor. A realização permanente das técnicas energéticas permite ao escritor, sobretudo o escritor parapsíquico, manter a conexão tranqüila com o extrafísico sem padecer com os assédios e ressacas energéticas provocados pela evocação natural gerada pelo movimento de escrever. A escrita é uma forma direta de conexão com o tema abordado.

32.    Exemplarismo. A prática das energias de modo controlado e tranquilo é um esclarecimento silencioso aos seres intrafísicos (ainda que inconscientemente) e sobretudo aos seres extrafísicos que ainda se percebem defasados e descompensadas. Entender o que o outro consegue fazer pode levar a uma espécie de choque existencial.

33.    Tridotação. Ao intelectual que deseja avançar mais rápido frente à evolução, o domínio energético atua em uma das frentes da tridotação consciencial. O mesmo vale para o comunicólogo sem traquejo energético.

34.    Inversor. Quanto mais cedo uma pessoa aprender a mexer com energia melhor será suas chances de se desenvolver gradualmente e com maturidade desde cedo. Um inversor sem trabalho energético é como um piloto sem cinto de segurança.

35.    Reciclante. O reciclante existencial também deve casar-se com o desenvolvimento energético. Mesmo que seja alguém de idade avançada, o ajudará no processo da dessoma e mesmo na preparação antecipada para a próxima vida. A reciclagem pessoal é atemporal.

36.    Qualificação. Qualificação sadia e parafisiológica das energias usando as próprias energias. A qualidade de vida deveria ser vista do ponto de vista multidimensional e não apenas físico. O domínio energético é um acréscimo e não mera muleta paliativa.

37.    Sinalética. Auxílio na melhora da sensibilidade e consequentemente na identificação das sinaléticas personalíssimas de caráter anímico-parapsíquico. O binômio sinalética-EV é um recurso magnânimo para a vigilância interdimensional e para a desperticidade lúcida.

38.    Autossuperação. Superação da visão e condicionamento meramente intrafísico para uma vivência mais abrangente e evoluída. A melhoria da vibração energética causa refratariedade e aversão ao nível mais troposférico.

39.    Profilaxia. A autodefesa energética é uma ferramenta a favor da segurança e da prevenção. Caso julgue necessário, utilize técnicas defensivas antes, durante e depois das situações sejam elas corriqueiras e banais sempre que julgar necessário.

40.    Autocura. O trabalho energético intenso pode gerar a cura deliberada de minidoenças e de certas desregulagens menores. Cabe lembrar que a mobilização energética não substitui a medicina ou certos tratamentos convencionais. Há curas energéticas inexplicáveis e improváveis.

41.    Evoluciologia. Saída intencional da condição primária do porão consciencial que não deixa de ser um desperdício de vida. A maturidade energética tende a vir acompanhada de auto-enfrentamentos pessoais.

42.    Racionalidade. A ativação do energossoma permite a centragem da consciência pelo encéfalo, não pelo subcérebro instintual. Você já se libertou da conduta negativa relativa ao subcérebro abdominal?

43.    Autopensenologia. Depuração gradativa das manifestações pelos autopensenes cosmoéticos (enes). É no momento do seu ápice energético que você pode checar o nível de sua pensenidade magna.

44.    Holopensene. O trabalho energético feito de modo regular, durante os anos, permite a melhoria das energias conscienciais e multidimensionais alterando assim positivamente o holopensene. A mobilização das energias depura o microuniverso íntimo até o macrouniverso exterior.

45.    Preparação. A utilização de técnicas energéticas, como por exemplo o estado vibracional, servem com uma preparação para outras ações como o acoplamento áurico e a assimilação simpática predispondo um maior desempenho parapsíquico e assistencial.

46.    Clarividência. A soltura das energias por meio da prática constante predispõe a melhoria da descoincidência para predispor as clarividências faciais em níveis mais sutis e avançados. As bioenergias desmascaram o invisível aos olhos.

47.    Desassim. O Estado Vibracional, por exemplo, é um modo mais sofisticado de promover a ruptura, quebra ou desligamento energético com uma pessoa, local ou holopensene específico. Energias desassimilando energias.

48.    Minimização. O autodomínio e a qualificação energética gera a diminuição gradual dos assédios interconscienciais, notadamente os miniassédios inconscientes e eventuais. Você se contenta em ser assediado?

49.    Iscagem. Além de predispor a iscagem interassistencial, a execução continuada das bioenergias consegue ajudar as consciências necessitadas através da própria energosfera mais límpida e ativa. Energia equilibrada serve de arrimo as energias destrambelhadas.

50.    Autodesestigmatização. A evitação de estigmatizações e macro-PK destrutiva geradores dos desvios de proéxis, notadamente patrocinado pelas próprias energias do parapsiquismo não dominado. O estigma é resultado de uma ação energética proveniente de um emocional ainda doentio.

51.    Ciprienologia. Tendência no aprofundamento de ciclos de primaveras energéticas de modo consciente, construtivo e bem utilizado. A prática energética lhe proporciona banhos de energias ou ressacas energéticas?

52.    Dimener. O esforço de dominar o próprio corpo energético permite a exploração inicial da dimensões energética (dimener) e suas nuances sutis. É fácil ou difícil mexer com energia nesse lugar? Quanto mais perturbado for o ambiente, mais difícil tende a ser qualquer manobra energética.

53.    Seduções. Ocorre gradualmente a eliminação da necessidade doentia e primária das seduções sexochacrais desnecessárias e fora de contexto. O autodomínio energético elimina o Homo sapiens vulgaris.

54.    Holorgasmo. A flexibilidade energossomática, gerada pelo esforço contínuo do casal, predispõe as vivências do holorgasmo para os parceiros afetivo-sexuais que tem a intenção e a vontade de promovê-lo por meio de metodologia específica.

55.    Relaxamento. Uma notável vantagem na solução para a dificuldade de relaxar e de enfrentar situações traumáticas, ou estressantes, é a qualificação do próprio relaxamento. As energias quando direcionadas e bem conduzidas geram enorme percepção de bem estar e relaxamento.

56.    Projeção. O contrle energético é um recurso poderoso que predispõe a saída lúcida para fora do corpo: tanto gerando condições otimizadoras no momento da saída quanto fazendo o energossoma entrar em ressonância com o psicossoma. O Energia é chave projetiva.

57.    Ofiex. Promove o assentamento e o funcionamento da oficina extrafísica policármica.
58.    Expansão. Permite uma vida menos limitada e submissa a vida meramente material ou intrafísica. Dessa forma, passando a iniciar um trabalho de reeducação energética e multidimensional. Sem descondicionamento, não há Autoconscientização Multidimensional (AM).
59.    Homeostase. Gerador da condição permanente e pacificadora da homeostase energossomática. Ative todos os seus chacras antes de pensar em avançar significativamente na escala de consciência contínua.
60.    Sustentabilidade. Promove o ser auto-suficiente capaz de resistir gradualmente às pressões diversas, multidimensionais, rumo a desperticidade lúcida. O EV ajuda na qualificação do mitridatismo do energossoma.
61.    Término. Serve como um instrumento capaz de melhorar a acabativa de algum serviço ou atividade específica. Por exemplo, é comum os amparadores patrocinarem EVs espontâneos ao término de uma projeção ou de uma seção da Tenepes. O EV é o fechamento de ouro frente ao holossoma.
62.    Autodefesa. Atua como um poderoso recurso defensivo contra consciências desequilibradas, vampirizadoras, assediadores francos, entre outros. A autodefesa é um dos recursos mais eficazes frente a manutenção da saúde energética, já que vivemos em um universo energético. Pouco adianta uma autodefesa magna e uma exteriorização assistencial miserável.
63.    Autodefesa Mental. Promove a autodefesa frente os xenopensenes (ou cunhas mentais) geradores de idéias fixas, autovitimizações, hipnoses em geral, manipulações diversas, certos tipos de surtos, afinidade com padrões doentios e todo tipo de patologia intrusiva de base mentalsomática. Como fica uma consciência mal intencionada que domina as energias em alto nível?
64.    Positividade. A atenção diária do Estado Vibracional consolida e sustenta uma atmosfera pessoal, ou um holopensene, de saúde e positividade. Uma pessoa bem intencionada e com discernimento, que tem por hábito trabalhar o EV, tem mais afinidade, em tese, para acessar um amparador técnico do que assediadores vulgares. O Estado Vibracional não promove ressacas energéticas.
65.    Autenticidade. A manipulação constante do EV permite a conscin viver menos influenciável, com maior lucidez, seja qual for a dimensão. Dessa forma, pode-se dizer que a autenticidade torna-se presente a todo instante, não apenas em algumas circunstâncias. O EV mostra quem é você, sob as influências de apenas si mesmo.
66.    Autodefesa Extrafísica. O Estado Vibracional é um recurso para a defesa pessoal em outras dimensões frente a consciexes doentias, agressoras, perturbadas, entre outros, capaz de manter o projetor lúcido e hígido sem a necessidade de voltar para o corpo. O EV é, ao que tudo indica, dependendo do caso, o melhor porto seguro frente aos desafios e as problemáticas extrafísicas


predispoe evs espontaneos.



5 Formas de Expandir sua Mentalidade




Todo mundo pode ter suas capacidades mentais ampliadas de modo significativo. Para tanto, o requisito básico é não se achar “tão bom” a ponto de não ser mais possível melhorar. Vaidades a parte, segue 5 maneiras de como expandir gradualmente suas capacidades mentais (mentalsoma). Já dizia Thomas Edson que tudo vem para aquele que é ativo enquanto espera.


1. Leitura de obras técnicas.

Uma leitura qualificada permite a aquisição de conteúdo de ponta nas mais diversas áreas do conhecimento. Esse é um dos maiores investimentos, pois com poucos recursos é possível absorver o que um especialista levou anos para conquistar. No quesito expansão mental as obras técnicas tendem a ser muito superiores a grande parte da literatura.

2. Ativação do coronochacra.

Outro modo é a ativação direta e consciente do chacra coronário ou coronochacra por meio de técnicas específicas. A Conscienciologia, por exemplo, dispões de inúmeras ferramentas que permitem uma intensificação ostensiva das energias na cabeça retirando aos poucos qualquer bloqueio ou defasagem existente. A utilização das funções mentais no cotidiano é que sustenta a ativação energética, mas certas técnicas funcionam como um poderoso aditivo.

3. Faça brainstorming.

Um papel e uma caneta podem ser ferramentas excelentes para conexões e novas ideias. Selecione um tema específico e coloque todas as palavras-chaves relacionadas sem qualquer tipo de julgamento maior no primeiro momento e permitindo as ideias fluírem sem maiores regras. Anote pelo tempo que achar conveniente e num segundo momento posterior analise com calma as conexões estabelecidas. Não raro podem surgir vislumbres e entendimentos durante as reflexões de cunho altamente esclarecedor.

4. Técnica da reflexão de 5 horas.

Uma técnica proposta por Waldo Vieira é a reflexão ininterrupta por 5 horas sobre um mesmo tema específico. Dessa forma, a tendência é esgotar suas ideias sobre algo até gerar novos entendimentos e ampliar os próprios horizontes. A indicação é não escrever nada durante o processo e ficar isolado num mesmo ambiente sem conexão com o mundo externo e evitando acesso as tecnologias em geral. Topa esse desafio mental?

5. Leia obra de linhas que você não concorda.

Ler sobre ideias afins é fácil e não necessariamente requer mudanças viscerais. Entretanto, ler sobre opiniões contrárias, quando escolhidas de modo mais seletivo, pode dar um novo sentido e uma visão diferenciada ainda que ao final você mantenha a mesma opinião. É um esforço se colocar no lugar do outro e buscar avaliar algo de modo mais isento. Dessa forma, o senso crítico acaba sendo cada vez mais qualificado. Você tem medo de mudar de ideia?


Este texto traz apenas informações básicas.
Estude! Se aprofunde mais no assunto!
E não acredite em nada. Experimente!

Por Alexandre Pereira.


** Não entendeu alguma palavra? - GLOSSÁRIO.


Os Caminhos da Consciência - Entrevista com Waldo Vieira (Revista Psique)



Entrevista publicada na revista Psique.


Há mais de seis décadas Waldo Vieira, médico e odontologista, dedica-se ao estudo teórico e prático da consciência (ego, self, personalidade) e de suas manifestações fora do corpo humano. Pesquisador participativo, vivencia o fenômeno da projeção consciente desde os 9 anos, entre outras manifestações parapsíquicas. Vieira trabalha voluntariamente no Centro de Altos Estudos da Conscienciologia (CEAEC), em Foz do Iguaçu (PR), onde conta com 51 equipes técnicas de pesquisadores-voluntários na elaboração da Enciclopédia da Conscienciologia.

Após 28 anos de dedicação ao Movimento Espírita do Brasil, Vieira deixou a doutrina para tornar-se pesquisador independente, com autonomia e liberdade de pesquisa. Em 1986 propôs as ciências Projeciologia e Conscienciologia, sistematizadas nos tratados Projeciologia: Panorama das Experiências da Consciência Fora do Corpo Humano (1986) e 700 Experimentos da Conscienciologia (1994). Escreveu ainda centenas de artigos e 46 livros relacionados a pesquisa da consciência, incluindo os tratados Homo sapiens reurbanisatus (2003) e Homo sapiem pacificus (2007), ambos com 1.584 paginas.

Em 1988, juntamente com outros pesquisadores, fundou o Instituto
Internacional de Projeciologia (lIP), transformado em Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC) em 1994, instituição sem fins lucrativos, voltada ao estudo e a divulgação destas neociências.

Psique - Como se pode definir a consciência e, de modo geral, como esse conceito difere das abordagens e estudos da Psicologia e da Psiquiatria?
WV - Nos estudos da Conscienciologia, a consciência e a personalidade integral, alem dos limites da pessoa humana, incluindo, portanto, o processo parapsíquico, ou seja, as percepções extrassensoriais transcendentes aos sentidos humanos. Nas abordagens conscienciológicas estuda-se a consciência considerando o período anterior ao seu renascimento nesta vida humana e também as vivencias posteriores ao descarte do corpo humano ou morte biológica. Nós consentimos o prosseguimento da vida para além da desativação do corpo físico ou dessoma (morte). Só aí a diferença é imensa, por exemplo, em relação à Psicanálise, que nada pesquisou sobre as vidas previas da personalidade. Estudamos esta realidade complexa a partir do Princípio da Descrença, postulando a experiência pessoal direta enquanto metodologia básica na busca do conhecimento extrafísico. Não temos, jamais, a intenção de convencer alguém sobre nossos estudos e pesquisas. Instruímos, ensinamos técnicas, priorizando sempre a tarefa assistencial do esclarecimento (tares) em detrimento da tarefa da consolação (tacon), mais afim aos trabalhos executados pelos governos, religiões e pela ciência de modo geral.

Psique - O que é então a Conscienciologia?
WV - A Conscienciologia é a neociência para o estudo da consciência. Para a maioria das pessoas, ainda muito envolvidas com os postulados da ciência convencional, newtoniana-cartesiana, fisicalista, baseada no elétron e na matéria, a proposição é considerada paraciência ou pseudociência. Somos conscientes desta realidade, mas essa condição não nos afeta. Em primeiro lugar respeitamos as demais ciências, necessárias, indispensáveis
e imprescindíveis para o estudo dos fatos e aspectos da vida na vigília ordinária. Mas o nosso objetivo de pesquisa e mais profundo, sério e com consequências evolutivas importantes para a melhoria da qualidade de vida do ser humano, pois supera as limitações da dimensão física ou intrafisicalidade, incluindo os aspectos extrafísicos ou transcendentes a matéria. A Conscienciologia deriva dos cursos intermissivos, aulas cursadas por algumas consciências antes de renascerem, no período entre uma vida e outra, denominado intermissão. A participação nesses cursos permite a essas pessoas admitir os princípios fundamentais norteadores desta nova ciência enquanto científicos, iguais a, por exemplo, o princípio da descrença, o da interassistencialidade ou
assistência mútua, e, principalmente, o da Cosmoética, ou Ética Cósmica e Universal.
Por fundamentar-se na realidade extrafísica ou extrafisicalidade, a Conscienciologia transcende a ciência convencional, inclusive a Parapsicologia, que está adstrita apenas aos processos convencionais newtonianos. Também supera todas as linhas religiosas e filosóficas e a própria Neurociência, apenas agora iniciando os estudos da consciência em si. Sabemos que seremos, Ainda por séculos, microminoria, porém autoconscientes das nossas intenções e objetivos, não nos importando em convencer os outros, persuadir pessoas, nem mesmo aquelas de nosso convívio familiar ou colegas de profissão. Com esse realismo, sinceridade e franqueza de tomada de posição na vida, respeitamos todas as linhas de conhecimento, mas seguimos nosso caminho sem nos preocuparmos com criticas ou considerações que venham apenas do ponto de vista humano. Partimos da seguinte premissa: se já reconhecemos uma verdade capaz de contribuir com a qualidade de vida das pessoas, por que não estudá-Ia? Isso não é egoísmo, ao contrário, vamos fazer assistência, trazer novas informações, esclarecer, enfim, dar exemplo. Na Conscienciologia consideramos ser toda pessoa cobaia das outras, inevitavelmente. Então sejamos cobaias modelos capazes de evidenciar um nível de saúde consciencial mais ampla.

No Centro de Altos Estudos da Conscienciologia (CEAEC), por exemplo, encontram-se dispostas para consulta mais de 80 mil obras selecionadas sobre parapsiquismo e paranormalidade; 5.398 dicionários poliglóticos, a maioria temáticos; milhares de recortes de jornais de temas diversificados sobre o estudo da consciência. Do ponto de vista do voluntariado, 611 pessoas se mudaram para Foz do Iguaçu espontaneamente para colaborar no projeto da Enciclopédia da Conscienciologia e na expansão da ciência, a maioria com curso universitário. Contamos ainda com 35 autores com livros publicados, mais de 100 professores universitários, 66 empresários, 58 psicólogos, 41 médicos, 32 engenheiros, alem dos administradores, advogados, biólogos e arquitetos. Só o bairro da Cognópolis, cidade do conhecimento, que está em fase de implantação em Foz pelos conscienciólogos, totaliza 1.640.000 m2, com 7 condomínios convivendo em harmonia e paz. Lembramos ainda a existência de milhares de pesquisadores conscienciológicos atuando em outras regiões do Brasil e também dos EUA, Europa, Ásia e Austrália.

Os fatos estão aqui para provar a grandeza e força das ideias conscienciológicas, embora sempre exista quem se exceda em fantasias e ilusões, nos considerando seita ou iniciação. No entanto, a maio ria dessas pessoas não veio aqui para nos conhecer. Importa ressaltar que dentre as linhas de conhecimento afins aos estudos da multidimensionalidade e extrafisicalidade, as mais problemáticas não são as científicas, mas as calcadas na demagogia religiosa, nas iniciações falaciosas, no misticismo avançado, capaz de perturbar a cognição das pessoas, nas interpretações subumanas e instintivas objetivando apenas o domínio e a manipulação através das demagogias e doutrinações existentes.

Psique – E o que é a Projeciologia?
WV - A Projeciologia e a ciência do estudo do fenômeno da projeção consciente, o qual considero o mais relevante e transcendente dentre os mais de 200 fenômenos parapsíquicos que estudei. Na projeção consciente, a pessoa sai da dimensão física e visita outras, utilizando corpos ou veículos mais sutis; memoriza as experiências ali vividas e, posteriormente, já de volta ao corpo humano, rememora e pode tirar proveito dos conhecimentos hauridos. A projeção supera todos os estudos da ciência convencional, inclusive os da Psicologia Transpessoal. Hoje, o fenômeno é mais pesquisado pelos estudos da experiência de quase-morte ou EQM. No entanto, a projeção consciente é um fenômeno saudável, diferente da EQM, embora muitos a considerem da área da Psicopatologia.

Psique - Por que isso ocorre?
WV - Acontece em função da dificuldade da maioria das pessoas em mudar o paradigma pessoal nas abordagens dos fenômenos de modo geral. Nós aplicamos o paradigma consciencial, pelo qual a pessoa estuda a si mesma, a partir de autoexperimentos práticos,
de modo independente, e, se for necessário, esnobando todo o conhecimento tradicional. O paradigma da ciência convencional não é adequado ao estudo da consciência, pelo menos do modo como a postulamos. Inclusive, tal paradigma esta na fase terminal, na UTI, a caminho do desaparecimento, em função das renovações e reciclagens do conhecimento. Sabemos que essa condição vai demorar quem sabe séculos ou milênios, devido aos interesses humanos. Por exemplo, um cientista PhD não vai renovar rapidamente suas bases paradigmáticas porque sua biografia esta envolvida. Há filhos, família e a sobrevivência em jogo. Segundo Thomas Kuhn (1922-1966), as mudanças acontecem a partir da renovação das gerações, ou seja, com a morte dos pesquisadores veteranos e o nascimento de jovens com ideias mais renovadas.

Psique - Esse é o motivo da dificuldade do ser humano em admitir e estudar o parapsiquismo ou a paranormalidade?
WV - Sim. As pessoas não estão habituadas com estas questões. Além disso, muitas delas, em vidas pretéritas, ajudaram a queimar os chamados feiticeiros ou parapsíquicos da época. Não é possível se libertar disso rapidamente. Outro aspecto, como já disse, é a dificuldade dos cientistas em aceitar a extrafisicalidade, em função da defesa da biografia pessoal, mesmo quando apresentamos todos os fatos. Também devemos considerar a dificuldade natural em se reconhecer o fenômeno parapsíquico, por ser esse um processo pessoal e exclusivo. Não interessa apenas os estudos teóricos, é preciso a vivência pessoal a partir do princípio da descrença. Por todas essas questões vemos, por exemplo, a ectoplasmia, fenômeno parapsíquico sério e complexo ser abordado enquanto piada, anedota ou surrealismo. A paraperceptibilidade supera o conceito de mediunidade proposto por Allan Kardec (1804-1869). A paraperceptibilidade é o conjunto de fenômenos transcendentes da personalidade integral, atingindo determinadas faculdades e atributos mentais e intelectuais. Hoje a Conscienciologia já pesquisa dezenas de novos fenômenos, jamais relatados pelo Espiritismo, Teosofia, Orientalismo, Metapsíquica ou Parapsicologia. Entre eles destacam-se a inversão existencial ou invéxis, a tarefa energética pessoal ou tenepes, a oficina extrafísica ou ofiex, a condição da pré-mãe, a personalidade consecutiva, o autorrevezamento existencial, entre outros, todos devidamente explicitados e esclarecidos nos verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia.

Psique - Por que você optou por dedicar a sua vida ao estudo da consciência sob o prisma destas novas ciências, Conscienciologia e Projeciologia?
WV - Eu vim com esta programação de vida (proéxis) ou mandato existencial. Sou autoconsciente desta condição, pois comecei a rememorar as minhas vidas pretéritas e, inclusive, o período anterior a esta vida, aos 3 anos de idade. Portanto, estudei Medicina, Odontologia, frequentei outros cursos no Oriente, na Europa e nos EUA, justamente para me atualizar e me preparar para elaborar a minha obra-prima que e a Enciclopédia da Conscienciologia. É necessário ter prioridade para auferir resultados na vida humana. E a prioridade é a seguinte: se puder fazer uma renovação para sentir-se mais feliz agora, por que deixar para depois? Por que não fazer já? A Priorologia é uma das novas ciências propostas pela Conscienciologia. Dispomos de uma série de neociências ainda não abordadas pela universidade e pela ciência convencional. A Autodiscernimentologia é uma das mais avançadas. A Voliciologia, estudo da vontade, e a Intencionologia são outras bem sérias. Há também a Coerenciologia ou estudo da coerência pessoal, a qual considero das mais complexas. Quantas pessoas, inclusive alguns psicólogos que trabalham conosco, não agem de modo incoerente? É preciso apontar e estudar estas realidades para otimizar as reciclagens necessárias e fazer assistência.

Psique - O que é Holociclo e Holoteca?
WV - Holociclo é o ambiente do CEAEC tecnicamente preparado para reunir todos os componentes ou artefatos coadjutores e auxiliares da elaboração da Enciclopédia da Conscienciologia. Há milhares de dicionários dispostos horizontalmente em mesas, e não em estantes, justamente para instigar ou desafiar os pesquisadores. Ha também miIhares de recortes de jornais, utilizando a técnica do Cosmograma, além de estações de trabalho individuais. Enfim, toda a infraestrutura capaz de qualificar as abordagens enciclopédicas e polimáticas dos verbetes estudados sobre a personalidade humana. A Holoteca é igualmente um ambiente do CEAEC reunindo as tecas ou coleções de artefatos do saber, compondo hoje 277 modalidades diferentes.

Psique - Atualmente você está elaborando a Enciclopédia da Conscienciologia. Explique melhor esse projeto.
WV - A Enciclopédia da Conscienciologia é o resultado das pesquisas de toda a minha vida. Ali estou inserindo todos os meus achados em forma de verbetes, criando uma estilística original, a partir das técnicas da circularidade, exaustividade e detalhismo máximos, de modo a colocar o trabalho erudito dentro de um apostilamento popular. A Enciclopédia será uma espécie de cápsula
do tempo para mim e para as pessoas interessadas na Conscienciologia, ou seja, na próxima vida, vou acessa-la e estabelecer os próximos passos do meu trabalho a partir daí. A essa condição denominamos autorrevezamento existencial autoconsciente. É importante ressaltar que todas as pessoas vão renascer. Ate mesmo o cientista convencional antagônico a pesquisa de si mesmo, acabara estudando a própria consciência e a Conscienciologia. Pode demorar milênios, mas isso será inevitável. Admito esta realidade com tranquilidade, em função do meu parapsiquismo. Portanto, faço a minha parte neste sentido, apesar da incompreensão da maioria.

Psique - Além da Enciclopédia da Conscienciologia, qual livro o senhor considera o mais relevante?
WV – É difícil definir o mais relevante depois da Enciclopédia, mas talvez seja o Homo sapiens reurbanisatus, pois detalho ali o problema da evolução em si. Neste livro esclareço a situação das consciências extrafísicas reurbanizadas, ou seja, aquelas que, depois de séculos ou milênios, saíram dos ambientes ou comunidades extrafísicas doentias e voltaram a renascer na dimensão física, ou foram transmigradas para outros planetas. Hoje a Terra conta com cerca de 6,5 bilhões de habitantes, muitos deles consciências reurbanizadas ou consréus. E essa condição já está criando problemas sociais, iguais as loucuras, excessos e tragédias atuais jamais vistas antes na humanidade.

Psique - O que é o projeto conscienciológico denominado Tertuliarium?
WV - O Tertuliarium é o local especializado e tecnicamente funcional para sabatinarmos alguém. No caso, fui a primeira cobaia a ser sabatinada. Trata-se de um auditório circular, com acomodações para 346 pessoas e cadeiras ajustadas para uso de laptop e anotações. Ali acontece diariamente o Curso de Longo Curso, também denominado Curso das Respostas ou Tertúlia Conscienciológica, com 2 horas/aula diárias gratuitas. A cada aula os participantes recebem antecipadamente e de modo gratuito o verbete impresso da Enciclopédia a ser discutido no dia. Nas aulas predominam a refutação, a confrontação e o debate, compondo tertúlias técnicas mais avançadas e adaptadas ao contexto do século XXI. Já vamos para 8 anos de tertúlias, com mais de mil aulas dadas. Além da transmissão online, teremos em breve um programa de rádio e TV no mesmo horário, para a transmissão das aulas ao vivo.


** Não entendeu alguma palavra? - GLOSSÁRIO.

Afinal, onde fica o esplenicochacra?



Os chacras são vórtices de energia que possuímos e que são abordados milenarmente no oriente, especialmente na China e na Índia. Ao todo existem mais de 88 mil chacras de todos os tamanhos espalhados ao longo do corpo. Entretanto, a cultura popular fala apenas nos chacras maiores, geralmente em torno dos 7 principais.

Nas fotos mais conhecidas dos chacras, principalmente na linha mais mística, todos os chacras aparecem alinhados ao centro do corpo de modo simétrico. (veja as ilustrações abaixo). Dessa forma, é dada a ideia de que os centros de energia quando saudáveis devem estar “alinhados”, daí a famosa expressão de alinhamento dos chacras.





Segundo a Conscienciologia, após o sexochacra (kundalini) vem o chacra umbilical e o terceiro, de “baixo para cima” é o esplenicochacra e se localiza no lado esquerdo do corpo estando situado aproximadamente na altura do baço. (veja ilustração abaixo). Nesse modelo conscienciológico o chacra umbilical fica alguns centímetros acima do umbigo e não há nenhum vórtice relevante abaixo do umbigo até o sexochacra.

 Imagem retirada do IIPC


Quanto aos chacras (ou chakras) há opiniões divergentes e até contraditórias quanto aos conceitos e especulações ocorridas ao longo dos tempos. Difícil dizer se já existiu alguma unanimidade. No Budismo Tibetano, por exemplo, se reconhece apenas 5 chacras principais onde os dois primeiros se combinam do mesmo modo como o sexto e o sétimo seriam apenas um. Há centenas de visões díspares.

É importante frisar que as funções do esplenicochacra, destacado pela Conscienciologia, está entre as mais nobres e importantes e, apesar de sua relevância, está entre os mais desprezados de um modo geral. Entre suas principais atribuições destaca-se:

- Distribui as energias para os demais chacras e pelos órgãos do corpo.
- Desenvolvimento das experiências fora do corpo (projeção consciente ou viagem astral).
- Absorção de energias cósmicas durante as experiências fora do corpo (promovendo autocompensações e a revitalização da saúde física e mental durante o período de sono do corpo humano).
- Está relacionado com a desassimilação das energias (desassim) ou desconexão energética.
- Atua nos fenômenos de ectoplasmia projetiva (juntamente com o sexochacra e o umbilicochacra)


O próprio esplenicochacra parece atuar mais intensamente em relação a alimentação humana e em processos ainda obscuros quanto ao baço e desconhecidos pela própria medicina. O ponto chave é que o esplênico atua de modo primordial em relação aos demais juntamente com o coronochacra (no alto da cabeça) devido as suas funções nobres.

Tanto o chacra esplênico quanto o chacra cardíaco estão mais presentes do lado esquerdo do corpo em decorrência dos demais e fazem uma interface maior com outros dois corpos como o energossoma (tido por outros nomes como duplo etérico, corpo vital, holochacra, chi, veículo do prana, entre outros) e o psicossoma (também tido por corpo astral, perispírito, corpo emocional, entre outros). Existe ainda a hipótese de que o lado esquerdo do corpo atue de modo psicológico na fixação da consciência na vida humana.

O fato do esplenicochacra não ser abordado nos países orientais com essas especificações explicaria a questão de falarem muito pouco sobre as experiências extracorpóreas ou projetivas? Boa parte das linhas orientais fala muito de energia, mas sobre a projeção consciente e seus correlatos há poucas informações e aplicações significativas. Isso teria relação por ignorar esse centro de energia?

Afinal, onde fica o esplenicochacra? Para responder à pergunta central deixo essa questão com você. Nesse caso, o inteligente, evolutivamente falando, não é acreditar ou defender alguma abordagem que você tenha preferência. O mais maduro é ter suas próprias experiências com as energias e verificar por si mesmo de forma isenta e aberta. Afinal, você já sentiu em algum momento da vida o chacra esplênico? Conseguiu comprovar por si mesmo a sua existência?


Bônus: Atualmente não possuem técnicas ou mesmo procedimentos metodológicos que utilizam o esplenicochacra visando a experiência fora do corpo (nem mesmo por praticantes veteranos no mundo). Seria importante desenvolver amplamente técnicas com esse enfoque?



Este texto traz apenas informações básicas.
Estude! Se aprofunde mais no assunto!
E não acredite em nada. Experimente!

Por Alexandre Pereira.


** Não entendeu alguma palavra? - GLOSSÁRIO.



Experimento de integração científica na Netflix



Foi lançado a pouco tempo As Maiores Incógnitas (“The Most Unknown”) pela Netflix que, além de ser um documentário que mostra o trabalho de inúmeros cientistas de ponta, é um tipo de experimento social por reunir áreas até então “isoladas” e mostrar uma multidisciplinaridade raramente vista no meio acadêmico.

Em pouco mais de uma hora de meia de apresentação pesquisadores de 9 áreas distintas como Psicologia, Astronomia, Física, Biologia, entre outros, tem a oportunidade de trocar informações e fazer novas interações. Em determinado ponto, por exemplo, ocorre uma breve discussão sobre a pesquisa da consciência e as tentativas de entendimento com as novas metodologias existentes.

Para o indivíduo pouco habituado quanto a ciência e a pesquisa em geral, a produção gera uma ampliação de horizontes e evidencia que a busca pela verdade do universo ainda está muito distante de nossa realidade. Ao mostrar, por exemplo, o quão pouco conhecemos do nosso próprio oceano ou sobre grandes questões universais é possível notar o tamanho de nossa ignorância mesmo com o desenvolvimento atual.

Esse documentário é uma "prato cheio" para quem gosta de ciência e sobre pesquisa em geral. Por mais iniciativas como essa.



 
Por Alexandre Pereira.

E se a Ciência comprovasse a vida após a vida? - Filme "The Discovery" da Netflix




E se a ciência comprovasse sem qualquer tipo de dúvida que existe a vida após a morte? Isso melhoria nossa vida?

O filme "The Discovery" analisa essa comprovação, mas coloca uma premissa não muito discutida que é o suicídio em massa. Sem contar muito da história, a humanidade está passando por uma crise de suicídios já que a vida material não é a única e as populações sabem que existe algo além.

Interessante a abordagem sobre a pesquisa da vida após a morte e de como as pessoas esclarecidas lidam com o assunto. O grande pesquisador e responsável pela descoberta, interpretado pelo ator Robert Redford, é figura intrigante e controversa.

Saber como as pessoas reagiriam perante uma descoberta dessa magnitude ainda é uma incógnita nos dias atuais e o modo como a trama é construída torna-se interessante para análise. Como você lida com seus erros e arrependimentos dessa vida?

Trailer:


Por Alexandre Pereira.