10 dicas para a Mobilização Básica de Energias (MBE)

13:13:00 Administrador 0 Comments



Muitas pessoas não valorizam a MBE por serem manobras "básicas". Entretanto, o termo básico poderia ser trocado por fundamental. Toda técnica energética irá se utilizar da circulação, da exteriorização ou da absorção de energia. Tudo varia dessas manobras. Portanto, o seu domínio e desenvolvimento irá ajudar nas mais diversas realizações com base nas energias.

Quando a pessoa treina ou aplica a mobilização básica, ou fundamental, da Conscienciologia é comum ter dúvidas ou mesmo realizar alguns pequenos enganos que podem acontecer nesse desenvolvimento. A listagem aqui abarca 10 dicas simples, mas que merecem atenção, quanto a teoria e a prática da MBE ou Mobilização Básica de Energia.


1. Faça com a luz acessa.

Muitas pessoas que aprendem a trabalhar as energias em cursos acabam achando ou se condicionando de que precisam apagar as luzes para aplicar técnicas energéticas. Ledo engano. Você pode (e deve!) mexer com energia em qualquer lugar e em diversas situações. Energia não existe só a noite (rsrs). Reeduque essa ideia de que energia só se mexe em locais escuros (ou penumbra) e calmos, pois é uma prática que pode se tornar uma segunda natureza para o indivíduo.

Você consegue os mesmos resultados seja qual for a luz ambiental?


2. Faça as técnicas de olhos abertos.

Outro erro comum ao praticar técnicas energéticas é se habituar a realizar todas as manobras de olhos fechados. No início da aprendizagem é normal e até muito bom fechar os olhos para melhorar a concentração e também prestar mais atenção nas energias envolvidas. Entretanto, há um momento do desenvolvimento que é necessário fazer as mesmas manobras e procedimentos de olhos abertos e em atividades rotineiras. Em muitos casos, acontece todo um trabalho de readaptação para o trabalho energético juntamente com a visão.

Como você se sai com as energias nos momentos difíceis e emocionalmente conturbados onde não é possível fechar os olhos?


3. Não acostume com a hipnagogia.

Há quem diga mexer com energias, mas em uma análise mais detalhista se descobre a pessoa está sempre em estágio hipnagógico. Ou seja, ela relaxa tanto que até perde certa noção do ambiente e muda sua frequência cerebral. É comum até que a cabeça fique caindo e com dificuldade de se manter parada. Desculpe, mas isso não é bem um trabalho energético. Quem só trabalha energia relaxado demais, como irá fazer quando estiver na fila do banco ou em situações tensas? Nesse caso, vale a pena mexer as energias em pé ao invés de sentado ou deitado. Situação semelhante (e ruim) a quem se acostuma a mobilizar energia somente se tiver música ambiental. 

Você só "consegue" trabalhar as energias quando está muito relaxado?


4. Não fique sempre com o corpo imóvel.

No início do desenvolvimento é importante ficar com o corpo paralisado no intuito de perceber e controlar melhor as energias. Entretanto, também é relevante fazer as manobras da mobilização básica com alguns movimentos corporais buscando não perder a conexão energética. Com o desenvolvimento é possível mexer com energia até mesmo correndo ou fazendo movimentos complexos. Quem só é bem-sucedido em controlar a energia imóvel terá dificuldades imensas de realização durante o dinamismo da vida.

Você consegue circular as energias enquanto caminha?


5. Descubra a sua melhor posição.

É inegável que, ao aplicar as técnicas de diversas formas e meios, há posições que parecem ser mais fáceis tanto para a percepção como para a condução. No entanto, isso é totalmente individual. Ao descobrir o que te favorece invista as práticas nessa posição sem, contudo, ignorar as demais. Ao se acomodar e praticar apenas de uma forma o desenvolvimento será sempre parcial e insuficiente. Valorize o que é mais fácil sem deixar de investir no mais difícil.

Qual posição é mais fácil para você? 


6. Utilize em momentos complicados.

O treinamento energético deve estar associado com situações sociais, momentos de diálogos ou mesmo em processos conflituosos. Conseguir fazer alguma manobra energética de modo discreto, sem que os outros percebam, é condição sine qua non perante a bioenergética. O trabalho energético solitário é bom no início, mas é importante a execução interconsciencial que dá mais trabalho. Ter dificuldade não significa que você é incapaz ou indigno e a persistência é a chave do sucesso.

Você consegue movimentar as energias de modo sigiloso e positivo? 


7. Não se cobre por resultados rápidos.

A sociedade atual vive uma onda de imediatismo onde tudo se conquista de modo muito rápido. Entretanto, o domínio energético vem com o tempo e esforço. Não conseguiu dominar as energias em uma semana e já vai desistir? Procure ser mais paciente e resiliente sem cobranças indevidas e inapropriadas por não ficar bom muito rapidamente. O excesso de pressão, imposta por si mesmo, além de não fazem bem costuma paralisar todo o progresso do autodomínio energético.

O seu trabalho energético está ligado a ansiedade ou medo? 


8. Não precisa fazer a sequência. 

Iniciantes geralmente tem dificuldade para realizar a MBE durante o dia já que realizam as manobras sempre na sequência começando pela circulação até o EV, exteriorização e absorção de energia. Entretanto, não é preciso mexer na ordem ensinada e nem mesmo fazer sempre as 3 técnicas. Apenas absorva as energias se tiver vontade ou apenas faça circulação e assim por diante. Você manda nas energias e pode realizar o que achar necessário ou conveniente de acordo com a situação.

Você tem flexibilidade mental e energética?  


9. Não precisa ficar anotando sempre. 

Há recursos avaliativos para técnicas energéticas que analisam tanto a quantidade quanto a qualidade da aplicação. Mas é importante já saber que esse tipo de conduta é temporária e serve, de tempos em tempos, para ver como anda o próprio desenvolvimento. Por mais aplicado e dedicado que vocês seja, ninguém consegue ficar anotando sempre todos os detalhes e está tudo bem. O que importa é não se cobrar nem se penalizar por não anotar tudo.

Você costuma se avaliar periodicamente? 


10. Use o seu comando interno. 

Ao concentrar energia na cabeça, por exemplo, muitas pessoas simplesmente obedecem a voz do professor, usam gravações onde outras pessoas dizem o que fazer ou mesmo imaginam que alguém está ordenando para a energia se acumular ali. Use o seu próprio comando interno. É você quem manda em suas energias e não algum agente externo. Nesse sentido é assertivo se basear apenas em autoconfiança e auto-absolutismo. O domínio de energia é um processo ativo e não passivo.

Quem manda nas suas energias?


Repetição e análise é a "fórmula" mais aceitável para o desenvolvimento de excelência.


Este texto traz apenas informações básicas.
Estude! Se aprofunde mais no assunto!
E não acredite em nada. Experimente!

Por Alexandre Pereira.



** Não entendeu alguma palavra? - GLOSSÁRIO.

0 comentários: