16 vantagens de relembrar vidas passadas

20:20:00 Administrador 0 Comments


Uma das primeiras ações que Pitágoras incentivava nos seus alunos e discípulos era a recordação de vidas passadas. Essa lembrança, chamada de retrocognição ou regressão, sempre esteve presente nas narrativas humanas desde o início dos tempos. Entretanto, a retrocognição não é necessariamente uma ocorrência positiva, pois em sua essência é neutra. Ou seja, essa lembrança pode ser altamente vantajosa ou eventualmente patológica. Nem sempre é fácil lembrar um passado esquecido.

Esse texto vem apontar 16 vantagens, fora outras existentes, da lembrança que pode ser obtida por conta própria de acordo com técnicas específicas.

01. Comprovação pessoal das múltiplas existências.

Certos fenômenos retrocognitivos, quando muito intensos e marcantes, constituem provas pessoais inegáveis quanto à existência de vidas passadas e, por conseqüência, da vida após a morte. Essa autocomprovação pode ser suficiente para um indivíduo mais maduro fazer diversas reflexões e mudanças de comportamento por entender que vivemos vidas encadeadas e que nada é mera coincidência. Vivenciar novamente alegrias e conquistas antigas, bem como seus dissabores, gera mais segurança quanto à lei do retorno e da meritocracia. Cada pequena comprovação elimina uma dúvida mortificadora.

02. O entendimento de conflitos íntimos.

É comum que conflitos emocionais remotos voltem à tona ainda que não tenham nenhuma relação com os pais, com o meio ou as companhias dessa vida. Alguns processos de ordem íntima permanecem independentemente do tempo e do corpo. Ou seja, nem tudo o tempo cura. Certos problemas emocionais são redimidos apenas com a superação realizada pela própria consciência e enquanto não “tocar na ferida” a mesma poderá permanecer aberta e dolorida por inúmeras vidas humanas. Há, por exemplo, pessoas que cultivam a violência física contra seus parceiros independente de quem sejam ou do que façam. Existe algum ponto emocional que você carrega desde sempre?

03. A clareza dos vínculos pessoais.

Existem muitas razões para você ter nascido nessa família atual, menos o acaso. Vivemos interligados por vínculos negativos (interprisões) ou positivos (interassistenciais) e toda conexão com as pessoas não é gratuita e nem tampouco irrelevante. O acesso as vidas passadas permite o entendimento dos antigos papéis sociais onde filhos podem ter sido pais, amores podem ter sido desafetos, amigos podem ter sido parentes e assim por diante. A clareza quanto aos vínculos com pessoas, locais e grupos evolutivos elucida muitas dúvidas. O sentimento une.

04. A noção quanto à visão panorâmica multimilenar.

Veja a seguinte analogia: suponha que desde o dia do seu nascimento até o momento de hoje cada dia dessa existência represente uma vida na dimensão material. Sendo assim, ainda que você recorde os últimos 7 dias (ou últimas 7 vidas) ainda estaria longe de conhecer sua existência como um todo. Não ter retrocognições seria o mesmo que acordar pela manhã sem saber o que aconteceu no dia anterior. Entende a analogia? Dessa forma, quanto mais retrocognições maior será a noção quanto a sua biografia integral ou holobiografia e sua visão de conjunto sobre toda a sua existência. O passado não irá mudar você sabendo dele ou não.

05. Autoconhecimento profundo.

Quem rememora experiências passadas, independentemente do teor acessado, aumenta exponencialmente seu nível de autoconhecimento. Desse modo, é capaz de reconhecer suas ações e sentimentos em contextos às vezes muito díspares do momento atual. Ver suas atitudes e reações nas mais diversas condições traz certezas sobre quem você é e o que precisa renovar. Quem investe na retrocognição irá inevitavelmente se conhecer muito acima dos que apenas analisam essa vida. O passado ensina.

06. Eliminação de certas fobias.

A simples lembrança de um trauma passado, de vida pretérita, por si só é a cura de muitas enfermidades na maioria dos casos. Há linhas que trabalham exclusivamente na remissão de medos e fobias de origem “desconhecida”. Muitos hipnoterapeutas realizam essas seções terapêuticas mesmo não acreditando em vidas passadas, mas realizando devido a sua eficácia. Ou seja, certos traumas antigos podem refletir e reverberar de modo inconsciente no presente sendo confundidos com desordens emocionais dos mais diversos níveis. Você possui algum medo ou pavor que possa ter origem em vidas passadas?

07. A evitação dos mesmos erros.

A lucidez sobre os erros passados pode ser uma vacina contra a repetição dos mesmos. Geralmente se vive por longo tempo em determinadas faixas evolutivas e torna-se comum a repetição de erros e tolices semelhantes durante vidas consecutivas até o aprendizado e entendimento total da questão. Por que manter erros semelhantes ao invés de superá-los? Viver sem nenhuma noção de passado, presente e futuro é justamente o coma evolutivo de viver sofrimentos evitáveis e inúteis. A lucidez diminui os erros.

08. Entendimento quanto ao próprio carma.

Todos têm débitos e saldos positivos em sua existência. O carma ou holocarma é a reunião desses processos que tem como origem nossas ações e condutas do ponto de vista multidimensional. Muitas vezes certas dificuldades na vida são apenas reflexos de atos passados e há merecimento em ter esses problemas. O mesmo vale para o que flui sadiamente, ou seja, o lado oposto. Carma não é apenas algo ruim. Em certos casos, a retrocognição auxilia em provações e expiações que por ventura sejam uma necessidade. Você reclama de suas obrigações?

09. Diminuição dos preconceitos.

Quando o preconceito é muito intenso e fossilizado a tendência é que sua origem tenha raízes muito antigas. No entanto, não deixa de ser uma experiência forte quando, por exemplo, um machista se vê num corpo de mulher, ou quando um racista se vê como escravo e assim por diante. As memórias de vidas passadas podem ser uma forma sadia de reflexão sobre o que te deixa desconfortável. Somente uma mentalidade muito embrutecida para não se sensibilizar com as respostas retrocognitivas. Você carrega preconceitos arcaicos?

10. Revelação de fatos obscuros sobre si mesmo.

A tendência humana é colocar “debaixo do tapete” inúmeras ações e comportamento considerados por si mesmo como desprezíveis e condenáveis. Ou seja, o indivíduo se engana com pensamentos do tipo: “Isso nunca existiu”. Do ponto de vista multiexistencial (ou de outras existências), é possível abrir esses “arquivos ocultos” de ações obscuras cometidas por você mesmo e que um dia quis esquecer. Mesmo trazendo certo sofrimento nessas memórias, são informações muito relevantes quanto à própria condição. Quanto mais antiga é uma recordação maior será o autoconstrangimento.

11. O incremento da maturidade.

Rever os momentos bons e também os problemas é um meio de se tornar mais resistente antes as frustrações evolutivas. Muitas pessoas afirmam “imagine se na juventude eu tivesse a cabeça que tenho hoje...” e do ponto de vista das memórias de múltiplas existências esse conceito é potencializado por viver hoje com a sabedoria do passado. Com isso, é possível cortar certas tendências doentias e anular dores desnecessárias ao invés de reviver dramas semelhantes vida após vida. Há pessoas que voltam diferentes ou irreconhecíveis depois de uma retrocognição impactante.

12. Acesso ao próprio período intermissivo.

Tem importância saber que um dia foi um mero operário ou mesmo um monarca? Claro que tem. Entretanto, qual é a retrocognição mais importante? É a lembrança não de vidas passadas mais do período entre as vidas humanas as quais éramos seres extrafísicos. Esse período é chamado de intermissivo e pode revelar nossa programação quanto ao que viemos fazer nessa existência humana. Ou seja, é possível responder a uma questão que intriga a humanidade: Porque nasci? Cabe lembrar que esse tipo de memória está entre as mais difíceis e valiosas. Ninguém fica perdido conhecendo o próprio itinerário.

13. Aumento do universalismo e diminuição do patriotismo.

A maioria das pessoas ama e se afeiçoa a pátria de nascimento. Nesse sentido, quem consegue lembrar-se de muitas vidas pode entender que todo patriotismo é um pensamento redutor e pouco abrangente e que o universalismo, ou o sentimento fraterno universal, é mais relevante. É difícil ser patriota quando se possui memórias de diversos ambientes, naturezas e vidas singulares nos mais diversos locais pelo mundo. O parapsíquico maduro é personalidade apatriota e multidimensional de modo sadio. O bairrismo é, antes de tudo, falta de entendimento.

14. Aumento da responsabilidade pessoal.

Uma personalidade mais lúcida quanto ao que já viveu acaba tendo ganhos substanciais de responsabilidade. Apesar dos receios e preocupações infantis que muitos nutrem pelo medo da responsabilidade (hipengiofobia) trata-se de um ganho importante frente ao ciclo multiexistencial (das múltiplas vidas). Ver o que há de melhor e pior em nossa jornada evolutiva permite uma valorização do momento atual e de toda a cadeia a qual estamos ligados sem nenhuma alienação. Você prefere ser mais maduro ou mais ignorante?

15. Ressignificação da família.

O acesso genuíno as vidas passadas expõe os vínculos mais intensos das personalidades mais próximas dessa vida atual. Ou seja, ocorre a descoberta dos papéis sociais que pais, irmãos e a família como um todo outrora exerceram e nossa relação nisso tudo. Assim, a família deixa de ser meramente uma reunião de pessoas afins para um entendimento maior das necessidades grupais, débitos e créditos evolutivos, possíveis interprisões, entre outros. Essa nova ótica, de acordo com o nível de amadurecimento, tende a ser positiva a ponto de agregar novos valores ao invés de exaltar velhas mágoas. Quem ama perdoa.

16. Realização de pesquisas históricas.

Além de compreender a sua história é possível ter acesso direto a muitas informações do passado que não ficaram registrados nos livros de história ou que foram deturpados com o passar dos anos. Em certos casos é possível ter uma nova ótica de determinados contextos ou mesmo eventos históricos. Enquanto parte da humanidade fomos participantes de grandes sucessos e triunfos bem como de fracassos coletivos no decorrer dos séculos. Imagine, por exemplo, um estudioso ou entusiasta do antigo Egito que pode relembrar de vidas pessoais naquele tempo. Há histórias questionáveis.


É importante frisar que nem todas as pessoas estão preparadas e prontas para recordar vidas passadas. Dependendo do contexto, a retrocognição pode trazer dores, sofrimentos e tormentos “enterrados” pelo tempo que serão mais um peso na vida atual. Nem sempre é fácil, por exemplo, rever algumas mortes e a traição de pessoas queridas. Como boa parte dos indivíduos mal consegue lidar com os problemas dessa existência imagine resgatar certas feridas.

Entretanto, essa observação está assentada nas memórias de questões emocionais mais complicadas. Por exemplo, se pedir para você descrever algo relevante dessa vida provavelmente você não vai citar a última vez que foi numa churrascaria. Do mesmo modo funcionam as rememorações que dão ênfase naquilo que foi altamente marcante, seja por sua grande felicidade ou por eventos dramáticos. Para investir em retrocognições é preciso estar psicologicamente preparado tanto para o pior quanto para o melhor.

Se você já pensa em correr para um hipnoterapeuta buscando acessar o passado, analise tudo com cautela. Há casos de retrocognições não suas (ou de terceiros) em função da assimilação com as energias do terapeuta. O ideal ainda é recordação fruto de esforço pessoal por meio de técnicas, ainda que demorem um pouco mais e sejam mais trabalhosas.

Eis duas frases relevantes de Waldo Vieira sobre as retrocognições:

“Há aquela conscin ansiosa para conhecer a sua vida intrafísica prévia quando foi uma personalidade realizadora, porque hoje não está realizando o que deveria, em uma reação de compensação parapsíquica.”

“O melhor, às vezes, será conservar a descoberta em sigilo. Como não se muda o passado, por que então se preocupar com o fato, criando problemas para si?”

Observação adicional: Conforme cita Vieira, as lembranças retrocognitivas não são aleatórias e parecem ter uma sequência pré-determinada controlada por leis ou agentes ainda desconhecidos.


Este texto traz apenas informações básicas.
Estude! Se aprofunde mais no assunto!
E não acredite em nada. Experimente!

Por Alexandre Pereira.


** Não entendeu alguma palavra? - GLOSSÁRIO.






0 comentários: