100 Vantagens do Domínio Energético

21:45:00 Administrador 0 Comments





O trabalho energético vem sendo realizado pela humanidade desde épocas remotas e de diversos modos apesar do descaso ocidental.  Ou seja, povos antigos já perceberam que a energia que flui por dentro de mim e de você pode ser controlada, expandida e utilizada de acordo com o nível de domínio do praticante. Segundo a Conscienciologia, isso é possível sem a necessidade de rituais, do uso da imaginação ou de qualquer outra muleta nesse processo.


Você já sentiu suas energias?


Mas qual a vantagem em dominar as próprias energias? Caso você tenha esse questionamento, segue uma listagem com 100 vantagens, fora muitas outras, para entender a relevância evolutiva desse tema. As vantagens aqui listadas foram divididas em 4 categorias: vantagens pessoais, assistenciais, defensivas e multidimensionais.

Muita gente passa a vida tomando passes e frequentando ambientes para que possa ser energizada e equilibrada. E se você puder fazer isso sem nenhuma dependência?




SEÇÃO: BENEFÍCIOS PESSOAIS


01. Aumento da flexibilidade energética. O trabalho contínuo das energias torna o corpo energético flexível e muito mais fácil de ser mobilizado. Dessa forma, tornando mais eficiente às práticas energéticas em geral. A tendência é que quanto mais flexível for suas energias, mais forte serão todas as manobras fundamentais (circulação, absorção e exteriorização). Suas energias são fáceis de manejar, ágeis e maleáveis?


02. Promove a autocompensação energética. Seja qual for a causa de uma descompensação energética é possível através das energias inverter esse processo e gerar a autocompensação. Como vivemos imersos em um universo repleto de energias, toda descompensação não deixa de ser patológica. A absorção energética intensa é capaz de promover uma rápida melhoria e o retorno da potência pessoal.

03. Redução do estresse. As bioenergias trabalhadas de modo lento e consciente auxiliam na calma e na pacificação capaz de reduzir o estresse e a agitação da vida humana. Ao centrar a atenção em si mesmo e focar na técnica, por exemplo, circulando as energias sem pressa, geralmente com sensação agradável, e até certo ponto sedativo, têm efeito terapêuticoNão existe conflito sem o autoconflito.

04. Qualificação do animismo. Pelo fato do domínio das energias ser de base anímica, isto é comandado pela própria vontade, dá ao praticante autonomia e desenvoltura sem depender de mais ninguém. Na hora dos problemas não há dependências de “muletas” externas como médiuns, amuletos, gurus e nada do gênero. A vontade e a intencionalidade são fundamentais ao domínio das energias.


05. Ativação Energética. O trabalho bioenergético atua como um organizador dos nadis e chacras, promovendo o equilíbrio de vórtices desregulados e pouco ativos. Estima-se que haja mais de 88.000 pontos de energia ao longo do corpo e que são trabalhados “simultaneamente” na aceleração máxima do corpo energético (energossoma) promovido, por exemplo, pelo Estado Vibracional.


06. Leitura das energias do ambiente. Quem não é analfabeto energético consegue interpretar as energias dos ambientes e com isso se aproveitar delas ou mesmo evitá-las. Sentir padrões e analisar os mesmos faz total diferença para uma manifestação mais lúcida e sadia. Certas percepções e informações podem mais úteis e funcionais do que se pode imaginar. A psicometria é uma habilidade multifuncional.


07. Realização da desintoxicação energética. O desenvolvimento do corpo energético (energossoma) atua como um qualificador geral “enxaguando” e limpando energias indesejáveis. Assim como a limpeza física ajuda na manutenção da saúde, a movimentação energética é o desinfetante ou solvente geral que atua desde questões mais básicas até as mais complicadas. A energia bem trabalhada é prodígio para a desintoxicação.


A mobilização intensa atua como um poderoso “lava-jato” das energias pessoais gravitantes excluindo formas-pensamentos (morfopensenes) indesejáveis e pensenes (pensamentos, sentimentos e energias) desequilibrados.


08. Auxílio na autopesquisa. A partir de suas práticas energéticas é possível conhecer um pouco mais sobre si mesmo. As sutilezas percebidas podem revelar muito aos olhos de quem está atento a tudo. Exemplos: alguém com autovitimização acaba diminuindo a potência do seu EV? A desorganização o impede de trabalhar razoavelmente as energias? Sua persistência contribui para a criação do hábito bioenergético? O seu Estado Vibracional, de certa forma, mostra quem você é.


09. Incremento da positividade. A atenção diária as próprias energias consolidam e sustentam uma atmosfera pessoal, ou um holopensene, de saúde e positividade. Uma pessoa bem-intencionada e com discernimento, que tem por hábito o trabalho energético, tem mais afinidade, em tese, para levar uma vida mais ajustada e com menos percalços. Energia sadia não promove desajuste.


10. Aumento do bem-estar. As energias produzem certo bem-estar íntimo ao praticante, por vezes gerando sensações indescritíveis e pacificadoras. O equilíbrio dos múltiplos corpos (holossoma) provocam efeitos benéficos independentemente da idade, do sexo, da formação cultural e de questões gerais. Entenda que ao invés de temer a movimentação das energias ela gera saúde e vida.


11. Melhoria da imunidade. O trabalho energético contínuo acaba por melhorar o corpo físico de um modo geral e também a imunidade. Vale dizer que um corpo energético forte predispõe um corpo físico forte e todos os benefícios de ter uma saúde mais estável para a realização das tarefas e exigências da vida humana de modo mais satisfatório. Toda pequena doença desperdiça tempo, energias e o foco nas tarefas pessoais.


12. Realização de check-up. A sensibilidade energética permite a realização de autodiagnóstico que vai desde pequenos distúrbios até alterações nos próprios chacras. Dessa forma, é possível ampliar com o tempo seu nível de acuidade integral aos moldes da chamada consciência corporal. Esse conhecimento de si mesmo permite a detecção de pequenas mudanças e possíveis causas e assim promovendo um equilíbrio pessoal por maior tempo.


13. Aumento do potencial energético. Da mesma forma que a força física muda de pessoa para pessoa o potencial energético também possui variações. Mexer com a energia não a esgota, muito pelo contrário pois ocorre uma potencialização gradual e isso se reflete em outros níveis manifestação. A maioria das consciências respeitam força, incluindo assediadores conscientes.


14. Maior acesso mentalsomático. Ao mexer com as energias entramos em contato com mundo que é subjetivo e interior. Não raro pessoas que ficam mais ativas energeticamente acabam voltando a estudar ou a tomar gosto pelas práticas mentais. Esse processo ocorre em função da qualificação das energias não apenas do próprio coronochacra como de toda área encefálica. O binômio energossoma-mentalsoma amplia a produtividade pessoal. Quem expande sua mentalidade evolui no ponto mais central.

Um mentalsoma mais forte predispõe a um maior controle do corpo energético.


15. Suporte para acabativas. Serve como um instrumento capaz de melhorar a acabativa de algum serviço ou atividade específica. Por exemplo, é comum os amparadores patrocinarem EVs “espontâneos” ao término de uma projeção ou de uma seção assistencialQuase tudo começa e termina pelas energias, consciente ou inconscientemente.

16. Expansão de chacras específicos. Do mesmo modo que a musculação aumenta o tamanho do músculo e sua força, o treinamento energético faz algo semelhante aos chacras alvo. Portanto, uma pessoa pode se tornar muito desenvolvida em vórtices específicos (expert) e ainda assim ter a maioria dos outros chacras mais expansivos que a média. Para isso é preciso muita prática e esforço em favor da própria expansão até que se domine certa área e suas correlações.


17. Diminuição da Impulsividade. A ativação do energossoma permite a centragem da consciência pelo encéfalo, não pelo subcérebro instintual. Desse modo, é possível observar que a impulsividade tende a ser menor em quem consegue mexer altas cargas de energia. Você já se libertou da conduta negativa relativa ao subcérebro abdominal?


18. Menor sedução energética. Ocorre gradualmente a eliminação da necessidade doentia e primária das seduções sexochacrais desnecessárias e fora de contexto. Assim o praticante acaba tendo uma vida mais centrada em si ao invés da dependência e da aceitação alheia. O autodomínio energético elimina o Homo sapiens vulgaris.

19. Ativação da sexualidade. A tendência é que uma pessoa energeticamente “morta” seja também alguém sexualmente ausente. Muito da potência de energia está relacionada com a potência sexual, salvo algumas questões de doenças nesse ramo. É comum alguém sexualmente inexpressivo voltar a ter desejo e maior intensidade sexual após começar a mexer as energias justamente por esse trabalho de reativação.

Quase ninguém ativa suas energias sem a participação do sexochacra. A kundalini está entre as energias mais fortes em nós.


20. Possibilidade de chegar ao holorgasmo. A flexibilidade energética, gerada pelo esforço contínuo do casal, predispõe as vivências do holorgasmo para os parceiros afetivo-sexuais que tem a intenção e a vontade de promovê-lo por meio de metodologia específica. O holorgasmo é um processo energético e não tem relação direta com a ejaculação física. Você conhece os procedimentos técnicos do holorgasmo?

21. Conscientização da Evoluciologia. Saída intencional da condição primária do porão consciencial que não deixa de ser um desperdício de vida. Quando damos valor as energias podemos alavancar a evolução e sair do subnível que pode existir ainda de modo inconsciente. A maturidade energética tende a vir acompanhada de auto-enfrentamentos pessoais.


22. Maior Energopresencialidade. Com o passar do tempo, a força presencial é uma das mudanças mais perceptíveis da catálise feita pela melhoria das energias. É muito comum ver uma pessoa “apagada” e inexpressiva passar a por uma metamorfose silenciosa que a torna mais notada e apresentável. Muda-se a energia, muda-se quase tudo.


23. Manifestação com mais autenticidade. O domínio energético permite o indivíduo viver menos influenciável, com maior lucidez, seja qual for a dimensão. Dessa forma, pode-se dizer que a autenticidade torna-se presente a todo instante e não apenas em algumas circunstâncias. Se for para manipular algo, que sejam energias. Sua energia mostra quem é você, sob as influências de apenas si mesmo. Ser transparente é preocupante para você?


24. Autossuperação da vida materialista. Superação da visão materialista e do condicionamento meramente intrafísico para uma vivência mais abrangente, evoluída e menos limitada. Ao admitir e vivenciar que existe muito mais do que podemos ver acaba sendo um divisor de águas existencial. Quem realmente sente suas energias prova que a existência não e somente material. A melhoria da vibração energética causa refratariedade e aversão ao nível mais troposférico.


25. Depuração da autopensenidade. Depuração gradativa das manifestações pelos autopensenes cosmoéticos (enes). Isto é, com o passar dos anos as energias vão afetando positivamente toda manifestação pensênica (pensamentos, sentimentos e energias) mais séria a ponto de em casos mais raros auxiliar na incorruptibilidade da consciência. É no momento do seu ápice energético que você pode checar o nível de sua pensenidade magna.


26. Promoção da homeostase. Gerador da condição permanente e pacificadora da homeostase energossomática. O equilíbrio ocorre como consequência da fluidez energética. Desse modo o indivíduo fica até mais fácil de ser acessado e conectado por consciências de diversas especialidades e níveis evolutivos. Ative todos os seus chacras antes de pensar em avançar significativamente na escala evolutiva das consciências.

27. Diminuição de distúrbios do sono. Quem se exercita física e energeticamente normalmente dorme melhor que a média. No entanto, é bom observar se alguma técnica o deixa muito acesso e “ligado” demais quanto a lucidez. Há pessoas que dormem facilmente com o EV enquanto outras ficam mais despertas a ponto de não conseguir relaxar. Analise o que é melhor em função da intenção ao deitar. O que o sono diz sobre você?


28. Combate a energo-inexistência. A prática regular das energias torna-se um antagonismo óbvio e preventivo contra a ausência energética e as suas consequências nocivas. Dessa forma, o indivíduo deixa de lado o apagadismo, a autodefesa ineficiente e as intoxicações ininterruptas para viver o oposto de modo equilibrado.


29. Qualificação da Inversão Existencial. Quanto mais cedo uma pessoa aprender a mexer com energia melhor serão as suas chances de se desenvolver gradualmente e com maturidade. Assim sendo, é possível ir se desassediando prematuramente e tendo razoável domínio antes mesmo da adultidade biológica com ganhos ao longo de toda vida. Um inversor sem trabalho energético é como um piloto sem cinto de segurança.


30. Qualificação da Reciclagem Existencial. O reciclante existencial também deve casar-se com o desenvolvimento energético. Mesmo que seja alguém de idade avançada, o ajudará na vida integralmente e até mesmo no processo da dessoma, bem como na preparação antecipada para a próxima vida. A reciclagem pessoal é atemporal.

31. Diminui a ansiedade e sintomas de depressão. O trabalho regular com as energias permite um ajuste maior tanto do ponto de vista orgânico quanto consciencial. Não raro se percebe que a ansiedade é amenizada assim como sintomas que evidenciam estados depressivos. Vale ressaltar que nesses casos as energias ainda são secundárias e sem ir na causa desses problemas servem apenas como paliativos de ajuda temporária.

Quanto mais forte as suas energias mais profundo tende a ser as renovações pessoais.


32. Vivência de ciclos de primaveras energéticas. Tendência no aprofundamento de ciclos de primaveras energéticas (cipriene) de modo consciente, construtivo e bem utilizado. Toda primavera energética acaba sendo terapêutica e preparatória para novos e maiores desafios que virão pela frente. A prática energética lhe proporciona energias sadias ou ressacas energéticas?


33. Interação com possível macrossoma. O controle das energias provavelmente deve influir positivamente quando se nasce com um corpo adaptado para seu propósito existencial. Uma hipótese que pode ser levantada é se existe algum macrossoma específico em relação as bioenergias. Outra hipótese é se o trabalho intenso de energias em uma vida proporciona o “passaporte” para um macrossoma na próxima existência. As energias potencializam o corpo humano.





SEÇÃO: ASSISTENCIALIDADE


34. Ajuda no anonimato. O controle energético permite a auto-assistência e a interassistencialidade ampla e multímoda sem chamar a atenção intrafísica para si. É possível ser um agente em favor dos outros sem qualquer tipo de reconhecimento, o que potencializa o valor assistencial. Só quem não se importa com reconhecimento está apto a entrar na policarmalidade.


35. Realizar doação energética. Uma vantagem do domínio das energias é a capacidade de doação energética para pessoas necessitadas, sejam elas conhecidas ou não. E com isso promovendo equilíbrios maiores tanto para quem recebe quanto para quem doa suas energias. A doação envolve uma série de complexidades e variáveis e está entre as funções mais nobres e importantes. Você é uma personalidade doadora ou sugadora de energia?

36. Recebimento de banhos energéticosOs banhos energéticos, ou parabanhos, são sinais diversos, notadamente sadios, que acompanham a personalidade parapsíquica em ocorrências assistenciais. Os amparadores em geral promovem vários tipos de parabanhos que promovem desde a pacificação, descoincidências e confirmações gerais. Em certos casos, atua como a chave de ligação com uma central extrafísica de energia (CEE).


37. Instalação de campo energético. Um forte energizador é aquele que instala um intenso campo energético. Com isso é possível a realização de assistências complexas que podem abranger até cirurgias extrafísicas. Esse campo pode ser tanto coletivo, em seções parapsíquicas, como individual em seções de tenepes ou mesmo na manutenção do holopensene ambiental. Há campos energéticos inesquecíveis.


38. Preparação assistencial. A utilização de técnicas energéticas, como, por exemplo, o Estado Vibracional, servem com uma preparação para outras ações como o acoplamento áurico e a assimilação simpática predispondo um maior desempenho parapsíquico e fraternal. O mesmo vale para situações mais delicadas ou  conflituosas da vida cotidianaQuem já chega mais energizado tende a se perder menos em momentos críticos.


39. Execução de acoplamento energético. O domínio das energias permite o acoplamento energético que permite processos de diagnósticos e assistencialidade maior. A interação energética, quando feita de modo lúcido, aumenta a sua eficácia e os seus benefícios. O acoplamento é manobra fundamental em todos os processos de interação entre consciências. Saber acoplar as energias é base assistencial.


40. Consolidação da assimilação simpática. Com a intensificação do acoplamento energético ocorre a assimilação simpática (também chamada de Assim) que é uma intensificação dessa condição. Na assimilação simpática é possível se aprofundar na realidade do ser ou objeto indo até o seu “âmago” e compreendendo seu universo íntimo sob múltiplos enfoques. Cabe lembrar que é preciso estar bem emocionalmente consigo mesmo antes de mergulhar numa realidade alheia desconhecida e que pode ser muito sofrível. Não há assimilação sem abertismo.


41. Realização de diagnósticos. É possível realizar por meio das energias quase todo tipo de diagnóstico dependendo das habilidades e capacidades reais do indivíduo. Portanto, é possível e viável o diagnóstico de outras pessoas ou mesmo de grupos inteiros por meio da leitura energética. Desse modo, promovendo tanto a profilaxia quanto possíveis remissões de certos problemas. Nada é oculto perante as energias.


42. Promover a desassimilação ou desassim. O Estado Vibracional, por exemplo, é um modo sofisticado de promover a ruptura, quebra ou desligamento energético com uma pessoa, local ou holopensene específico. Saber desassimilar as energias, seja qual fora a técnica utilizada, é tão importante quanto a assimilação em si. A desassim é uma auto-assistência muito relevante. Energias desassimilam energias.


43. Atuação com a iscagem lúcida. Além de predispor a atração de consciências extrafísicas necessitadas (ou iscagem interassistencial), a execução continuada das bioenergias consegue ajudar as consciências extrafísicas necessitadas através da própria energosfera mais límpida e ativa. Em certo ponto essa iscagem acaba se tornando percectível e assim dando um salto assistencial. Energia equilibrada serve de arrimo as energias destrambelhadas.


44. Realização da tenepes. Com o aprimoramento do controle energético, melhorando o parapsiquismo e a potência pessoal, ocorre uma capacitação natural para o início da prática da tenepes que é uma forma de assistência contínua e diferenciada. Além do mais, o praticante fica pronto para outras técnicas avançadas, como a megaeuforização por exemplo, a ponto de ter uma ter uma atuação permanente quando veterano da mesmaDa auto-assistência até a policarmalidade.


45. Instalação da Ofiex. O trabalho energético contínuo permite o assentamento da tenepes e consequentemente a instalação da oficina extrafísica policármica (ofiex). Dessa forma, potencializando as tarefas assistenciais alicerçadas na energia potente e cosmoética de seu praticante. Com o surgimento da ofiex nasce a figura do epicentro consciencial e sua liderança que é mais multidimensional do que física. Você é um potencial epicon?


46. Conduzir a Projeção Energética. Existe uma técnica conscienciológica chamada de projeção energética onde é possível atuar de modo vigoroso, a partir das próprias energias, em favor da assistência a outras pessoas. Dessa forma, o indivíduo se torna um participante ativo juntamente com amparadores em determinados contextos de limpeza e desassédio. Você já descobriu a técnica da projeção energética?


47. Cursos e eventos desassediadores. Por meio das energias é possível a realização de eventos que propiciam campos de energia de alta potência que permitem desassédios e renovações expressivas. Para tanto é preciso ter professores e uma equipe já qualificada e preparada para essa finalidade. Dentro da Conscienciologia, por exemplo, há muitos relatos onde certos eventos energéticos foram “divisores de águas” nessa existência. Há cursos que são recursos.


48. Desenvolvimento da ectoplasmia. Com a qualificação do controle energético a tendência é que a potência também seja melhorada e a ectoplasmia “entre em cena” mais vezes. Toda personalidade pode melhorar sua potência ectoplásmica até o nível dos seres mais evoluídos que promovem materializações e desmaterializações voluntárias. Quem aumenta a ectoplasmia acaba naturalmente tendo mais responsabilidade assistencial e também sobre os próprios pensamentos (pensenidade). Você é um ectoplasta autoconsciente?


49. Projeções assistenciais e desassediadoras. O domínio energético predispõe as projeções desassediadoras que estão entre as mais sérias e viscerais do ponto de vista assistencial. Para tanto, ao se colocar frente a frente com assediadores é preciso ter confiança quanto as próprias energias e certo gabarito assistencial para esse tipo de tarefa mais delicada. Entretanto, as projeções desassediadoras são transformadoras tanto para quem faz quanto para quem recebe. Confiança é bem diferente de arrogância.


50. Ter exemplarismo evidente. A prática das energias de modo decidido e posicionado é um esclarecimento silencioso aos seres intrafísicos (ainda que inconscientemente) e sobretudo aos seres extrafísicos (consciexes) que ainda se percebem defasados e descompensados. Mesmo para uma consciex pode ser impactante assistir certos trabalhos energéticos. Entender o que o outro consegue fazer pode um tipo de choque existencial.


51. Melhora da soltura energossomática. O trabalho energético contínuo vai tornando o seu praticante cada vez mais refinado e sutilizado, ou seja, vai aumentando sua capacidade de descoincidência. Por exemplo, uma pessoa toda rígida que fizer alongamentos físicos irá com tempo adquirir enorme condicionamento. O mesmo se dá em relação as bioenergias. A descoincidência é fundamental para as conexões extrafísicas, desde as projeções conscientes até mesmo nas interações mais básicas.


52. Promoção da autocura. O trabalho energético intenso pode gerar a cura deliberada de minidoenças e de certas desregulagens menores. Há relatos de casos mais graves e raros onde aconteceu uma remissão completa. Em matéria de energia tudo é possível. Cabe lembrar que a mobilização energética não substitui a medicina ou certos tratamentos convencionais. Há curas energéticas inexplicáveis e improváveis.


53. Desbloqueios energéticos. Quanto mais cargas energéticas forem movimentadas maiores serão seus benefícios. Com tempo e dedicação as energias vão promovendo varreduras internas, basicamente em todos os compenentes físicos e energéticos, e gerando os desbloqueios caso necessários. Desse modo, limpando “por dentro” e trazendo todos os benefícios de uma atividade plena. O desbloqueio mais sério é com as energias e não se realiza com rituais, superstições ou amuletos.


54. Melhoria da sintonia com o amparo extrafísico. Quem mexe muito com energia acaba inevitavelmente se refinando positivamente e com isso permitindo uma sintonia mais qualificada com os amparadores. É muito mais fácil toda forma de interação quando ambos não possuem desníveis gritantes de manifestação. Portanto, não basta querer acessar consciências mais maduras já que é preciso irmos até o seu nível e não o contrário.


Você quer que o amparador te veja como o coitadinho das energias embotadas e travadas?


55. Consciencioterapia. A remissão de muitos problemas e distúrbios pode e deve ser auxiliada pelo trabalho energético. A prioridade de manter-se mais equilibrado é um recurso autoconsciencioterápico de grande valia. Há uma série de formas consciencioterápicas que se utilizam das energias como motriz assistencial. O ideal é a consciência ser o sua própria cobaia e terapeuta. Caso sinta a necessidade procure o tratamento de um consciencioterapeutaEV é EVolução.


56. Consolidação da dupla evolutiva. Perante os relacionamentos interconscienciais, as energias podem atuar na manutenção de climas sadios para que ambos tenham mais qualidade de vida e possam executar tarefas assistenciais duplistas mais qualificadas. O relacionamento ideal, a dois, é o da dupla evolutiva onde ambos os parceiros mexem as energias ao longo do dia.


57. Melhoria da autoestima. Ir sentindo e dominando as energias vai aos poucos melhorando a percepção de si mesmo e aumentando suas noções das autocompetências. Ao constatar ser capaz de se defender de assédios extrafísicos, potencializar a energia de um lugar, produzir fenômenos diversos e assim por diante, a estima vai se ajustando ao ponto de poder sair de vitimismos e dramatizações com maior discernimento e maturidade. Você se sente competente?


58. Alivia determinados tipos de dores. O equilíbrio energético pode trazer o alívio para certos tipos de disfunções orgânicas e certas dores físicas. Assim como em certos casos de terapêutica as energias servem como um poderoso aditivo, mas que não substituem certos medicamentos e fármacos. Entretanto, há muitos relatos de melhorias ainda não entendidas totalmente quanto a dor com a aplicação de técnicas específicas.


59. Escrita parapsíquica. A realização permanente das técnicas energéticas permite ao escritor, sobretudo o escritor parapsíquico, manter a conexão tranquila com dimensões extrafísicas elevadas, com ideias magnas, sem padecer com os assédios provocados pela evocação natural gerada pelo movimento de escrever. A escrita é uma forma direta de conexão com o tema abordado.

60. Incremento de paratecnologias. Por diversos momentos e razões (aprendizados, docência conscienciológica, entre outros) o praticante pode receber o auxílio de paratecnologias diversas e capazes, por exemplo, de potencializar a exteriorização, os comandos mentais e o desempenho em geral. Apesar das paratecnologias serem artefatos pontuais, de curta duração, se tornam realmente eficazes em quem já tem certo traquejo energético.


61. Fortalecimento da vontade e dos posicionamentos evolutivos. O trabalho das energias geralmente progride com a melhoria da vontade e da determinação íntima. Se não for assim o trabalho energético dura apenas alguns dias ou enquanto sobrar motivação. Dominar as energias é, antes de mais nada, um posicionamento quanto as suas decisões e deliberações evolutivas. Essa é uma conquista ímpar perante todo esforço multimilenar de crescimento.


62. Localização de pessoas. É possível se conectar a todo tipo de indivíduo apenas pelo seu padrão energético. Naturalmente que não é das habilidades mais básicas e pode ser utilizada por seres evoluídos como forma de rastreamento evolutivo. Dessa forma, todos somos inescondíveis frente a multidimensionalidade e mesmo quem se isola está de certo modo conectado ao todo. Ninguém é indetectável.


63. Acréscimo de energias. Ao ser ativo bioenergético, com ou sem uma função de liderança, é comum os amparadores promoverem uma condição de acréscimos de energias, muitas vezes vinda de origens indefinidas, que promovem um vigor energético fora do comum e a possibilidade de assistência em larga escala. Também ocorrem as conexões, por exemplo, com alguma Central Extrafísica de Energia (CEE).


64. Ajudar a si mesmo. Sua energia pode auxiliar a si próprio de modo sadio e em medidas apropriadas. As energias mais hígidas são capazes de abrir os caminhos quanto as maiores necessidades e propósitos existenciais. Saber utiliza-las em favor de si mesmo pode estar totalmente dentro da cosmoética e sem qualquer conotação egocêntrica. As capacidades energéticas evidenciam que o caminho correto está dentro de nós.


65. Assistência a pessoas desconhecidas. O domínio energético permite o auxílio (na maioria das vezes sem alardes) para ajudar pessoas queridas e também desconhecidas. Dessa forma, atuando nos outros com desbloqueios de chacras, limpezas do campo energético, trocas de energias, desassédios, acolhimentos e assim por diante. Entretanto, nada disso dura muito tempo se o outro não muda a forma de pensar e de agir e por isso a tarefa do esclarecimento é importante. Ajudar alguém não significa ele agir do jeito que você acha certo.


66. Ajudar consciências extrafísicas. O auxílio também por ser realizado aos seres extrafísicos (consciexes) com diversas aplicações práticas. Entre os principais benefícios é ajudar a sair da condição de parapsicose post-mortem e nos encaminhamentos em geral. Há consciexes que deve-se bloquear e também aquelas que deve-se estender as mãos. Quem entende de energia pode ser um assistente multidimensional.


67. Aceleração evolutiva. O domínio energético promove inegável aceleração evolutiva em diversos aspectos e prismas. Desse modo é possível acelerar dentro do próprio “fôlego evolutivo” e das potencialidades concretas. Com tantas possibilidades e benefícios essa vida pode ser uma oportunidade ímpar de descobrimento, experimentação e produtividade. Seu progresso é tímido?

68. Transfusão energética. Em certos casos a doação de energia é tão forte que pode ser considerada como uma “transfusão energética” onde pode ocorrer, não raro, até a possibilidade de sobrevida a pessoas muito doentes ou mesmo a remissão de problemas mais graves. Essa condição é mais rotineira em seres de alta expressão evolutiva.


69. Fortalecimento de órgãos e sistemas. Há experimentos que mostram que a atenção sobre a água muda totalmente as suas propriedades. Como mais de 70% do corpo é composto por água pense na mudança do corpo com a aplicação das técnicas energéticas. Por isso a regularidade diária com as energias acaba melhorando um sistema que, ao que tudo indica, está preparado para aguentar a movimentação de altas cargas. Um corpo sempre energizado parece igual a todos quando, na verdade, é uma raridade humana.


70. Melhorias em situações especiais. As energias trazem inúmeros benefícios em múltiplas áreas como, por exemplo, durante o período de gestação, em momentos de tratamentos diversos, nos sintomas da TPM, processos de dessoma, situações conflituosas, entre outros. Veja que as manobras energéticas vêm para agregar ao invés de apenas esperar e torcer que o universo faça algo a seu favor. Controlar as energias é permitir a interassistencialidade.


71.   Multiplicador. É difícil distinguir todos os efeitos gerados pelas práticas bioenergéticas. Este autor, por exemplo, já teve um EV espontâneo devido ao Estado Vibracional feito individualmente por uma pessoa a certa distância, fato reconhecido pela mesma ao trabalhar as energias com os olhos fechados. Quanto mais energia você movimenta maiores serão suas capacidades de realização. Os efeitos das energias podem ser positivamente inesperados e surpreendentes.

72. Tarefa do Esclarecimento e Impactoterapia. Quando se faz um apontamento mais sério para uma ou mais pessoas, expondo certas condutas questionáveis, é comum que ocorram embates e ataques por parte dos ouvintes. É preciso energia e força íntima para sustentar a intenção de ajudar. A incompreensão pode acontecer com qualquer pessoa seja qual for o tipo de vínculo existente. Antes de querer fazer qualquer impactoterapia é necessário estar bem preparado energeticamente e emocionalmente caso ocorram imprevistos.


73.    Efeito Halo. A mobilização das energias gera um efeito halo tanto no corpo energético como no ambiente e por vezes é o suficiente para formar um processo assistencial grupal de alcance difícil de mensurar, ainda que não tenha sido a intenção inicial. Quanto mais energia você movimenta maiores serão suas capacidades de realização.





CATEGORIA: DEFENSIVIDADE


74. Profilaxias diversas pelo Estado Vibracional. Frente as técnicas energéticas o Estado Vibracional (EV) é um recurso profilático, ou seja, desempenha um papel preventivo sobre as mais diversas ocorrências e situações, sempre atuando de modo pró-amparo e pró-segurança. Do ponto de vista multidimensional, o EV é capaz de prevenir assédios espúrios, descompensações súbitas e situações que possam desencadear acidentes em geral. O Estado Vibracional pode ser mais vacina do que remédio.


Você ainda usa o EV somente na necessidade?

Ou já vem dando menos trabalho aos amparadores?


75. identificação das sinaléticas. Auxílio na melhora da sensibilidade e consequentemente na identificação das sinaléticas personalíssimas de caráter anímico-parapsíquico. Há parapsíquicos com dezenas de sinaléticas identificadas que sinalizam e descomplicam a percepção multidimensional. O binômio sinalética-EV é um recurso magnânimo para a vigilância interdimensional e para interrupção do assédio.


76. Manutenção da alcova blindada. O domínio energético permite que a alcova, ou base física, sede do corpo humano nas projeções e nas seções afetivo-sexuais, tenha uma blindagem energética frente as energias intrusivas e assediadoras na função de defesa local. Nesse princípio de exteriorização você imprime as suas energias que mostram quem manda no ambiente. Você mantém seu ambiente limpo de energias tóxicas e consciências patológicas?


77. Realização de encapsulamento. O encapsulamento é uma técnica energética defensiva que permite pessoas e até locais ficarem blindados e selados perante uma energia externa antagônica. Desse modo, é possível se fechar as intrusões diversas e manter sua condição de acalmia. Há momentos onde é preciso se fechar energeticamente.

78. Autodefesa Mental. Promove a autodefesa frente os xenopensenes (ou cunhas mentais) geradores de ideias fixas, autovitimizações, hipnoses doentias, manipulações diversas, certos tipos de surtos e todo tipo de patologia intrusiva de base mentalsomática. Como fica você perante uma consciência mal-intencionada que domina energias em alto nível?


79. Autodefesa Extrafísica. O Estado Vibracional é uma das inúmeras técnicas utilizadas como recurso para a defesa pessoal em outras dimensões frente as consciexes doentias, agressoras, perturbadoras, entre outros, capaz de manter o projetor lúcido e hígido sem a necessidade de voltar para o corpo. O EV é, ao que tudo indica, dependendo do caso, um porto seguro frente aos desafios e as problemáticas extrafísicas.


80. Geração da sustentabilidade energética. Promove o ser autossuficiente capaz de resistir gradualmente às pressões diversas, multidimensionais, rumo a uma serenidade plena. Com isso, fica cada vez mais resistente as energias tóxicas e desequilibradas. Essa condição pode favorecer até mesmo o mitridatismo energético capaz de anular a ação de cargas densas e mal-intencionadas. Quanta energia negativa você aguenta sem se alterar?


81. Hábito da autovigilância. A prática contínua gera a manutenção do Homo sapiens energovibrator em uma condição de autovigilância energética ininterrupta naturalmente. Assim que algo no corpo energético se altera, a percepção é imediata e corrigida se necessário. Ser autovigilante sem ter uma postura de alienação é algo raro e sofisticado. Você vive mais lúcido ou mais robotizado?


82. Identificar pessoas mal-intencionadas. Com a leitura energética é possível identificar pessoas que querem prejudicá-lo ou mesmo que trarão algum tipo de problema. Assim evita-se uma série de transtornos com alguém que pode até parecer amigo e sorridente, mas que, na verdade, é um embuste assediador. Toda informação que evidencie má intenção alheia é informação valiosa do ponto de vista preventivo. Como se diz, as energias são o maior cartão de visitas que existe.


83. Rastreamento de bagulho energético. Por meio das energias é possível a pessoa sensitiva identificar se algum objeto está com acúmulo de energias pesadas e patológicas, o chamado bagulho energético. Sem essa identificação um único objeto é capaz de poluir uma casa inteira com um padrão negativo e de difícil remoção. Portanto, essa detecção e remoção posterior do objeto é uma forma de limpeza energética fundamental para quem frequenta o lugar. Você gosta de algum objeto negativo?


84. Evitação do desviacionismo. Trabalhar com energia não é garantia de completismo existencial. No entanto, pode servir como forma de não cair em desvios espúrios da proéxis como, por exemplo, assédios possessivos ou surtos de imaturidade. A tendência é que a conexão com o curso intermissivo e a paraprocedência seja mais eficiente. Quem banaliza as energias pode ter problemas dentro de uma maxiproéxis.


85. Autodesestigmatização. A evitação de estigmatizações e macro-PK destrutivas geradoras dos desvios de proéxis, notadamente patrocinado pelas próprias energias não dominadas do parapsíquico. Importante ressaltar que todo acidente de base energética ou parapsíquica pode ser evitado. O estigma é resultado de uma ação energética proveniente de um emocional ainda desestabilizado.


86. Realizar desassédio. As energias são um recurso poderoso para o afastamento e a proteção em relação a intrusões negativas por parte de assediadores intrafísicos e extrafísicos. Dessa forma, quem se habitua a ativar e movimentar as bioenergias tende a ser menos assediado em função de um campo de energia mais hígido. Entretanto, mexer muito com energia, mas ter um nível de cosmoética ruim é pior e torna o indivíduo ainda mais assediável. Mas é fato que nossas energias são capazes de afastar todo tido de consciência negativa.





SEÇÃO: MULTIDIMENSIONAIS

87. Aumento do abertismo. A percepção e a vivência das energias faculta um maior abertismo do indivíduo para contatar outras dimensões (multidimensionalidade) e para descobrir seus outros corpos de manifestação (multiveicularidade), sobrepairando a maioria da população terrestre ainda imatura e ignorante quanto a própria realidade. As energias são “portas” para realidades impressionantes.


88. Mudança dimensional. Com o domínio energético é possível o livre trânsito entre as infindáveis dimensões existentes, desde as mais pesadas e doentias até as mais sutis e evoluídas como a mental. Isso é feito por seres altamente evoluídos fora do corpo ou mesmo quando acessamo algum padrão durante a vigília física ordinária dependendo da sua vontade. Toda mudança de frequência é uma mudança energética.


89. Mudança de Holopensene. O trabalho energético feito de modo regular, durante os anos, permite a melhoria das energias conscienciais e multidimensionais alterando assim positivamente o holopensene pessoal e em alguns contextos até locais. Todo refinamento contribui para um avanço mais significativo da evolução. A mobilização das energias depura o microuniverso íntimo até o macrouniverso exterior.


90. Conexão com a dimensão energética. O esforço de dominar o próprio corpo energético permite a exploração inicial da dimensão energética (dimener) e suas nuances sutis. Por exemplo, vale se perguntar: “é fácil ou difícil mexer com energia nesse lugar?”. O hábito de sentir energias o deixa sempre mais alerta. Quanto mais perturbado for o ambiente, mais difícil tende a ser qualquer manobra energética.


91. Vivência de extrapolacionismo. O desenvolvimento energético predispõe ao praticante ter extrapolações parapsíquicas diversas e marcantes que evidenciam o próximo nível que pode ser alcançado se houver investimento e dedicação. As extrapolações podem trazer enorme vislumbre sobre o que é possível sentir, vivenciar e desenvolver. Os amparadores já investiram em você?


92. Fenômenos anímicos e parapsíquicos. Há uma gama imensa de fenômenos da consciência, superiores aos sentidos humanos, tanto de base anímica como parapsíquica, que podem ocorrer espontaneamente em função das energias ou mesmo que você pode dominar com o tempo. Há diversos fenômenos sequer catalogados até hoje. Energia transcende o material.


93. Aprimoramento do Parapsiquismo. Até certo ponto, pode-se dizer que todo mundo é parapsíquico em algum nível. Com as energias é possível progredir nas diversas esferas do parapsiquismo de acordo com as predisposições pessoais ou mesmo do investimento técnico. Muita gente quer melhorar o parapsiquismo, mas não é dedicado ao aprimoramento energético. Você é uma personalidade mais anímica ou parapsíquica? Está em desenvolvimento?


94. Vivência de experiências fora do corpo. O controle energético é um recurso poderoso que predispõe a saída lúcida para fora do corpo: tanto gerando condições otimizadoras no momento anterior da saída quanto fazendo o energossoma entrar em ressonância com o psicossoma. Não é preciso dominar as energias para só depois sair do corpo, nada disso. No entanto, quanto maior o domínio energético melhor tende a ser os resultados para o projetor. Energia é chave projetiva.


95. Incremento de lucidez. Na parafisiologia, o Estado Vibracional extrafísico e as demais manobras melhoram a lucidez e o raciocínio no estado projetivo, expandindo sobretudo as parapercepções durante as experiências. Toda pessoa que tem certo domínio energético tende a desfrutar de maior lucidez em suas ações. O hábito de mexer as energias enquanto acordado se transfere para as experiências multidimensionais.


96.Diminuição do lastreamento extrafísico. Nas projeções lastreadas, que dificultam a locomoção e a desenvoltura pelo excesso de energossoma, o trabalho energético atua como um sutilizador das energias que permitem manifestações pelo psicossoma menos denso. Uma experiência fora do corpo pode ser sempre qualificada dependendo das técnicas e habilidades do praticante e o lastreamento pode ser revertido.


97. Clarividência. A soltura das energias predispõe a ativação do frontochacra e a melhoria da descoincidência para predispor as clarividências gerais e faciais em níveis mais sutis e avançados. Essa capacidade visual é habilidade fenomenológica que pode ser desenvolvida por qualquer indivíduo dedicado. Todo mundo pode ser capaz de enxergar além do mundo material. As bioenergias desmascaram o invisível aos olhos.


98. Mudança de parafisiologia. As práticas energéticas acabam gerando efeitos sadios na fisiologia dos nossos diversos corpos (holossoma). Em relação ao corpo físico pode-se citar, por exemplo, fora muitas outras ocorrências, a aceleração da digestão, reorganização cerebral, diminuição dos batimentos cardíacos, suspensão da adrenalina, eliminação de pequenos distúrbios, entre outros. Do mesmo modo, reverberam efeitos também nos outros corpos mais sutis e em toda a sua parafisiologia.


99. Minimização de assédio. O autodomínio e a qualificação energética gera a diminuição gradual dos assédios interconscienciais, notadamente os miniassédios inconscientes e eventuais. É como alguém que começa a fazer atividade física e acaba anulando certas doenças imperceptíveis que iria aflorar mais a frente. Do mesmo modo há muito miniassédio desfeito que o praticante nem fica sabendo. Você se contenta em ser assediado?


100. Alcance da Desperticidade. O domínio energético é o primeiro grande passo, multidimensionalmente falando, para a consolidação enquanto ser desperto lúcido e interassistencial nessa existência. O descontrole energético abre brechas para todos os tipos de intrusões assediadoras desde as mais brandas e breves até tipos permanentes. Afinal, nenhum desperto é desassediado na vida humana e assediado extrafisicamente. Desperticidade: refratariedade homeostática.



Qual a sua desculpa para não investir no domínio energético?



Este texto traz apenas informações básicas.
Estude! Se aprofunde mais no assunto!
E não acredite em nada. Experimente!

Por Alexandre Pereira.


** Não entendeu alguma palavra? - GLOSSÁRIO.





0 comentários: