18 sinais de suas vidas passadas

21:26:00 Administrador 27 Comments


Vários itens sutis podem dar pistas de nossas vidas passadas. O autopesquisador atento pode se beneficiar de várias análises íntimas a fim de direcionar seus esforços e ligações com o passado. Importante ressaltar logo no início que nada substitui o fenômeno da retrocognição (rememoração de vidas passadas) pura e direta. Os indícios listados neste texto ainda são básicos e primários para desnudar nossa existência multimilenar. Sem a retrocognição pessoal as conclusões deste texto serão apenas superficiais, mas podem ser tratadas como um primeiro passo.

1. Medos e traumas. A existência de certos medos, fobias e traumas que não têm nenhuma razão aparente e sem nenhuma origem na infância ou em outro período da vida atual. Pavor de água pode indicar morte ou tortura por afogamento em alguma situação não superada. É importante frisar que esses medos ocorrem em função de experiências emocionais traumáticas (forte intensidade). O objetivo de recordar ou buscar tratamento não é mudar o passado, mas ressignificar as ocorrências.

2. Cicatrizes e marcas de nascença. Em alguns casos é possível que certa marca de nascença tenha relação com o passado justamente por imprimir no corpo atual algum evento marcante. Entretanto, tal ocorrência tende a ser negativa por justamente mostrar que o período entre as vidas (na dimensão extrafísica) provavelmente foi conturbado. Nesse tema existem diversos relatos, por exemplo, de cicatrizes relacionadas com a última morte física. Ao que tudo indica isso não ocorre mais com seres muito evoluídos e nem com a maioria da população. Do contrário nasceríamos todos muito cicatrizados.

3. Sonhos recorrentes e projeções semiconscientes. Outro fator indicativo são justamente os sonhos recorrentes (ou que se repetem) podendo expressar situações, emoções ou traumas pretéritos. Fique atento aos contextos e situações para distinguir com critério se os sonhos pesadelares têm mesmo alguma fração de memória. Algumas projeções semiconscientes, com baixa lucidez, trazem certas inclinações pessoais relativas a lugares, profissões e grupos de pessoas do passado. Você possui algum sonho recorrente?

4. Afinidade ou rejeição de uma cultura. Um modo simples é checar suas reações emocionais quanto às outras culturas globais. Porque detestar comida italiana ou adorar o idioma espanhol? Avalie a sensação pessoal, por exemplo, de diversas músicas e o padrão causado: é positivo ou negativo no seu caso? Uma série de detalhes, quando somados ou muito evidentes, pode trazer boas pistas.

5. Fenômeno do Déjà-vu. A sensação de déjà-vu ou já ter visto é um dos fenômenos do dejaísmo. Nessa situação, você consegue saber ou conhecer um ambiente mesmo sem nunca ter estado nele anteriormente. Essa ocorrência é muito comum e forte em viagens para locais onde você não esteve nesta vida, mas onde, supostamente, já viveu ou passou em outras vidas. Ao entrar em um ambiente e sentir as energias do passado, o indivíduo pode saber o que existia ali e até detalhes desconhecidos por outros que podem ser comprovados posteriormente. Algum lugar já te marcou muito?

6. Seus comportamentos e hábitos pessoais. O temperamento pessoal, ao que tudo indica, demora mais para mudanças drásticas com o passar das vidas. Dessa forma, é possível um tipo de análise onde seus comportamentos trazem ranços de um passado não muito distante. Ou seja, uma pessoa que manifesta o autoritarismo pode ter tido muito poder, alguém que sente solidão pode ter estado muitos anos na prisão, dificuldades sexuais vindas de vida celibatária, postura de submissão ligada a antiga escravidão e assim por diante. Analise seu caso com discernimento, pois uma das doenças modernas é a solidão e provavelmente nem todos foram prisioneiros.

7. Relações afetivas. Outro ponto sutil, mas significativo, são as suas relações afetivas e como se sente em relação aos outros. Você já sentiu afinidade imediata por alguém ou mesmo rejeição instantânea em relação a alguém? Esse tipo de ocorrência provavelmente mostra nossas relações passadas e nosso histórico com aquele indivíduo. Importante é não confundir com a leitura energética onde um ser é capaz de sentir, por exemplo, que alguém não é confiável. As pessoas com quem você tem mais entrosamento são de onde? Podem ser todas da mesma época?

8. Acúmulo de sincronicidades. Ao estudarem seu passado ou sua personalidade, por exemplo, algumas pessoas afobadas ou iniciantes em pesquisas podem se impressionar facilmente com algumas sincronicidades e tirar conclusões precipitadas. As sincronicidades são fontes importantes de informação e podem trazer conhecimento de diversas naturezas. Entretanto, é preciso ter bom senso e parcimônia para não usar as sincronicidades como prova, pois a comprovação ocorre apenas com a vivência direta. As sincronicidades já explicitaram alguma questão do seu passado?

9. Talentos e habilidades inatas. Um ponto subjetivo que pode revelar um pouco de nosso passado são justamente os talentos ou habilidades inatas. Partindo do princípio de que nossas qualidades são resultado de longo esforço evolutivo ter boa capacidade intelectual, por exemplo, pode revelar um passado de estudo e grande dedicação mental. Entenda que nada é de graça e nosso desenvolvimento é fruto de árduo trabalho. Portanto, quais as suas habilidades acima da média que podem indicar certa ocupação antiga?

10. Processos intuitivos pessoais. Um ponto importante e banalizado pela maioria é justamente o que dizem seus processos intuitivos. Mesmo sem informação, o que sua intuição aponta? Obviamente, apenas a intuição não é o suficiente (não é à toa que tantos já se declararam sendo Napoleão Bonaparte, por exemplo), mas é um caminho que não deve ser totalmente excluído. Se intuitivamente você sente uma conexão com a França ou com indígenas vale a pena investigar mais a fundo suas ligações. Até que ponto certas respostas já estão prontas em você?

11. Tipo de comida preferida. Esse é um item delicado de se avaliar, pois recebe influência da família, da mídia e assim por diante. O sushi, por exemplo, está atualmente na moda e isto não significa que todos que dele gostam foram japoneses (até porque antigamente não havia sushi de cream cheese com tomate seco). Entretanto, certos odores, aromas, cheiros e gostos de outras culturas podem indicar certa inclinação quanto ao passado. De modo semelhante também é interessante avaliar alguma aversão alimentar quando ela não tem razão específica. Por que detestar, por exemplo, comida árabe?

12. Gostos e tendências da infância. O estágio infantil pode expressar o passado justamente pela criança ser menos condicionada e apresentar certos gostos e posturas inatas. Obviamente, devem ser descontadas certas fases naturais do desenvolvimento que todos passam na juventude, mas certas peculiaridades ou idiossincrasias podem ser reveladoras. Na sua infância você queria ser cientista, artista, militar ou tinha outra predisposição?

13. Exaltação emocional em filmes e livros. Com pouco esforço você pode avaliar quais tipos de filmes e cenas reverberaram intensamente no seu íntimo. Ao ver uma cena de tortura, por exemplo, você passa mal e tem uma reação emocional exagerada? Essas questões são importantes, mas devem ser analisadas com cautela. Normalmente todos se sentem mal com cenas pesadas e extremas, mas, no seu caso, tem algo que incomoda mais do que o normal? Seria resquício de algum trauma? Cabe lembrar que o oposto também vale: a felicidade ao se deparar com certos temas e contextos.

14. Seu próprio nome. O próprio nome, na minoria dos casos, tem relação com algum ponto do seu passado. Naturalmente que seu pai, mãe ou quem escolheu o nome precisa ter algum nível de sensibilidade, intuição ou ter tido forte insight sobre como nomear alguém. Essa análise merece cautela, pois, por exemplo, se você viveu anteriormente na Bulgária com o nome de Mikhailov é pouco provável que tenha relação com a atualidade. Entretanto, existe a possibilidade do nome remeter a algum local ou energia histórica específica que faz parte da sua ficha multissecular.

15. Estilo de roupa e arquitetura. Certas roupas, casas e diferenças culturais podem trazer sentimentos diversos. Alguém menos preconceituoso ou xenofóbico pode sentir-se em casa com roupas coloridas da Índia ou desconfortável com túnicas gregas. Existe algum tipo de roupa que sempre gostou de usar? A qual modelo tem aversão? Analise também se existe algum tipo de casa ou construção que chama a sua atenção independentemente do seu valor financeiro.

16. Ideais pelos quais tem paixão. Todas as suas ações podem refletir algum processo seja pela enorme afinidade ou por forte antagonismo. Exemplificando: é bem possível que alguém que defenda a paz ter vivido alguma guerra sangrenta ou quem foi sabotado por governantes ter desconfiança de políticos. Nesse sentido os assuntos em que você é um entusiasta talvez venham de longa data e podem se refletir em vários processos pessoais. Essa “paixão” pode ser tanto positiva quanto negativa na vida atual.

17. Ligação com períodos ou eventos históricos. Uma análise pessoal simples é definir com quais épocas e períodos você sente mais afinidade, ainda que possa parecer mera fantasia ou devaneio. Uma pessoa que foi morta e torturada na época da inquisição, por exemplo, pode ter aversão ou uma sensação ruim em relação a esse período sem mesmo ter rememoração ou entender suas emoções. Naturalmente, se deve atenuar quando uma pessoa sofre forte influência desde pequeno como ocorrem em processos religiosos. De que época você gosta? Você sente-se atraído por eventos doentios como guerras e desastres?

18. Os pais e sua família atual. Um ponto relevante e pouco falado é a observação da própria família e seus integrantes. Mesmo a evolução sendo uma questão individual, seu processo íntimo o liga a sua família em algum ponto comum ou então de acordo com cada integrante. Partindo do princípio de que ninguém é colocado junto de alguém de modo casual, você já deve ter encontrado e tido relações diversas e nas mais diferentes situações com seus familiares.

Reforçando: ao somar todos os itens listados você pode tirar importantes informações, contudo superficiais e não conclusivas, pois somente com fenômenos diretos é possível a autocomprovação. Existe uma regra básica que diz que são necessárias, em média, 10 pequenas recordações para 1 confirmação de vidas passadas ou então uma experiência retrocognitiva avassaladora que não deixe dúvidas. Fora isso, trate todos os seus achados como hipóteses.


Este texto traz apenas informações básicas.
Estude! Se aprofunde mais no assunto!
E não acredite em nada. Experimente!

Por Alexandre Pereira.



27 comentários:

  1. Ótimas dicas, Alexandre!! Uma pequena, porém, lúcida, trilha em meio a imensidão da Consciência humana.

    ResponderExcluir
  2. Creio que este seja o maior determinante: "9. Talentos e habilidades inatas." Gosto de citar o caso de Mozart, por exemplo. Claro que, se nunca tivesse visto um piano na vida, não teria como fazer florescer o seu gênio musical, mas talvez também não tenha sido a toa que já nasceu filho de um músico.

    Abs!
    raph

    ResponderExcluir
  3. Quero fazer minha auto pesquisa de vidas passadas,com estas dicas já é um começo.

    Grata,

    Yara

    ResponderExcluir
  4. Sugiro aos interessados procurar pela Consecutivus - www.consecutivus.com.br

    ResponderExcluir
  5. Alwxandre, já tive sonhos bem reais, aguns anos atrás tive um sonho da qual eu morava na Itália e que residia numa Ruela e fui assassinada. Isso é incrível porque tenho descendencia nessa vida, mas seria um dos ultimos países a visitar. Um país tbem que só de ouvir falar sinto raiva é a França. Ja me vi tbem em sonho real presa numa torre e eu era uma jovem que curava através da mãos...tinha os cabelos cumpridos e nao podia ver as pessoas das quais praticava a cura. Me joguei dessa torre e acabei morrendo. Tenho pra mim que talvez seja na Turquia ou Russia...meu nome e prenome é totalmente Russo.Ja procurei diversas torres nesses países para ver se me acho. Penso em visitar esses países.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante o seu testemunho, Tania. Também não gosto nada da França. Só o sotaque já me enerva bastante. Pelo contrário, amo a Itália. Já visitei alguns países e na Itália tive uma sensação única de ao descer o avião ter e tido um cheiro tão bom daquele lugar, o que nunca aconteceu em mais lado nenhum. E uma curiosidade, não tenho o olfato muito apurado, por isso ter sentido aquele cheiro tão agradável e reconfortante, foi um grande marco.

      Excluir
  6. Alwxandre, já tive sonhos bem reais, aguns anos atrás tive um sonho da qual eu morava na Itália e que residia numa Ruela e fui assassinada. Isso é incrível porque tenho descendencia nessa vida, mas seria um dos ultimos países a visitar. Um país tbem que só de ouvir falar sinto raiva é a França. Ja me vi tbem em sonho real presa numa torre e eu era uma jovem que curava através da mãos...tinha os cabelos cumpridos e nao podia ver as pessoas das quais praticava a cura. Me joguei dessa torre e acabei morrendo. Tenho pra mim que talvez seja na Turquia ou Russia...meu nome e prenome é totalmente Russo.Ja procurei diversas torres nesses países para ver se me acho. Penso em visitar esses países.

    ResponderExcluir
  7. Eu tenho duas marcas de nascença, uma na nuca na região do couro cabelo na qual desde os meus 8 anos nasce cabelo branco, e uma nas costelas no lado esquerdo parecido com uma cicatriz de tiro,na qual desde criança não consigo ver nada que envolva uma pessoa sendo encurralada por alguém armado..Sinto-me fortemente ligada há um vilarejo em torno de um lago cercado por montanhas em meus sonhos no qual me vi nele duas vezes, ali eu me sentia em casa, gosto do cheiro das casas antigas de madeira, tenho aptidões para as artes desde a minha infância...

    ResponderExcluir
  8. Agradecido por tão útil matéria, bem como as demais registradas. Luz!!!

    ResponderExcluir
  9. Para aprender outros detalhes extremamente IMPORTANTES PARA O AUTOCONHECIMENTO que complementam este excelente artigo de Alexandre Pereira, sugiro a leitura crítica do artigo “A MORTE NÃO EXISTE — Um Despertar Para Uma Nova Civilização Planetária!”, disponibilizado em Tópicos Recentes de www.salvesequemsouber.com.br

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Tive um sonho da qual era uma camponesa , e vivia no campo , tipo um palacio real e ficava admirando um principe... e tenho tipo a intuicao de que ja vivi no lugar assim. tenho uma ligacao muito forte com a varsovia e dai fui pesquisar por curiosidade fica na polonia!!! la tem um palacio real do seculo XIII. se alguem poder me ajudar a desvendar esse misterio . falar comigo no email: gisellymcosta@gmail.com

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Eu já tinha visão que eu era um grande médico em um grande hospital mas não era no Brasil era na Alemanha e o meu nome não tem nada a ver com o meu nome de hoje Luciano, até hoje eu tenho me perguntado o que que esse sonho quis me dizer

    ResponderExcluir
  14. Ninguém foi pobre , prisioneiro... sempre se jogam para Europa em castelos,príncipes etc...hihi pode ter morrido na revolução de 30 mesmo...

    ResponderExcluir
  15. Tenho uma obsessão doentia pelo século passado,desde que eu tinha uns 13 anos, de 1900 á 1945, especialmente a segunda guerra mundial, não consigo me adaptar a essa época, tudo a meu redor me irrita, as pessoas são fracas, não são como antigamente,já cheguei a tentar suicidio algumas vezes e esse era um dos motivos. Amo tragedias e a segunda guerra mundial, existem muitos sinais de que eu vive durante tal época, mesmo que eu não acredite muito em reencarnação, é bizarro. estou só aqui no meu canto aguardando ansiosamente pela terceira guerra mundial, enquanto aprecio notícias de grandes tragdias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tbm tenho uma forte atração pela a Segunda Guerra Mundial, tinha uns 12 para 13 anos quando vi documentários sobre a Guerra e me senti atraída pelo assunto, assistia os documentários que passava na tv e aquilo me é familiar, como se eu tivesse feito parte. Hoje eu n sou mais tão ligada assim como fiquei na época, mas ainda sinto muita afinidade.

      Excluir
  16. Se alguém quiser conversar comigo a respeito de sinais de reencarnação ou se identifica com meu comentário, responda aqui para entrarmos em contato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola, queria conversa sobre essas tais coisas...

      Excluir
  17. Eu quando criança já tinha grande afinidade pela segunda guerra. Brincava que era lider de pelotão em um grupo sempre com ligação com a União Soviética. Escuto música russa desde a adolescência onde tive acesso a interne. Hoje tenho 30 anos, e nunca esqueço da segunda guerra mundial ela faz parte do meu passado. Lutei a serviço do exército russo nessa vida passada. Nasci com problemas cardíacos onde tive que fazer cirurgia aos 2 anos e meio, sou curado disso. Mas impediu que eu ingressasse no exército brasileiro. A revelação dessa vida passada veio em sonhos muito nítido. Sonhei faz uns 5 anos que fui aprisionado por soldados inimigos e fui levado a um calabouço como prisioneiro de guerra e fui executado com um tiro no coração. Antes desse sonho tinha sonhado com a revolução de 1917 onde eu já lutava a serviço do exército vermelho. Mas no segundo sonho fui morto na segunda guerra. Neste exato momento que escrevi esse texto estou escutando https://www.youtube.com/watch?v=KxcP7TRY178 (Uma hora de música soviética), onde me inspirou a pesquisar essa página e deixar minha opinião. Sou espirita kardecista, nascido no Paraná...

    ResponderExcluir
  18. Ola, boa noite, me chamo Marina, sou de Fortaleza, achei muito interessante este assunto, eu tenho duas teorias de outras 2 epocas que eu possa ter vivido em vidas passadas eu gosto muito de religioes pagas e nasci numa familia catolica, vou na igreja desde criança me afastei um tempo hoje com 25 anos de idade, voltei a frequentar a pouco tempo, mais sou assim o pe na igreja mais o meu coraçao esta fixado nas ideologias pagas e amo historia quando estudava na epoca de colegio sempre que o tema da aula era sobre a 'santa' inquisiçao me dava uma revolta, contra a igreja e tal pensei que fosse se fase de adolescente mais foi mais ou menos nessa epoca que comecei a estudar o modo de vida dos pagaos camponeses na epoca da inquisiçao e na epoca muito distante do nascimento de Cristo,amo assuntos sobre Egito Antigo, Grecia, os Sumerios... acho que em outra vida possi ter sido uma paga ou uma wicca, curandeira ou indigena e ter sido morta pela inquisiçao na epoca sob acusaçao de ser uma bruxa...
    E meu 2° palpite de outra epoca que eu possa ter vivido e a epoca que mais amo muito mais que a da inquisiçao e sobre paganismo...
    E a decada de 20, os conhecidos e loucos anos 20, cinema mudo, Charles Chaplin sou uma fa assidua de sua obra, chega a ser obssessao, tudo relacionado a epoca de 20, Coco Channel, Louise Brooks, United Artists e por ai vai...
    Me lembro tbm de um fato exatamente ha uns 20 anos atras em 97 ou 98 por ai, eu acho eu tinha uns 5 ou 6 anos na epoca, eu quando tava nesse meu tempo de criança adoecia muito do estomago vomitava e tudo e minha mae sempre me levava numa senhora que e curandeira, usa ervas e rezas nas pessoas...
    Lembro-me de uma certa vez quando era pequena em 97 ou 98 quando minha mae me levou pra ela rezar em mim, vi na sala dela pendurado um quadro de Charles Chaplin daqueles que quase todo mundo tem pendurado em casa ou seus avos tinham aquele quadro que ele ta nos degraus da escada, aquela mesma escada do filme Luzes Da Cidade de 1931, aqueles degraus que ele desce e aparece aquele homem que tenta se matar mais o Vagabundo nao deixa ele se matar e o ajuda...
    Pois e na epoca eu quando vi logo perguntei pra senhora:
    Quem e esse homem na foto?
    Ele ja morreu?
    E ela respondeu-me:
    Sim morreu ha muito tempo era um ator de filmes antigos mudos e hoje eu com 25 anos sou fascinada pela decada de 20 especialmente tudo relacionada ao C.Chaplin mais nao começou de agora essa admiraçao ja vem de um tempo desde meus 17, 18 anos que quando passava uns filmes de Chaplin na globo na decada de 90 epoca que cresci pois nasci em 1992, ainda passava filmes dele no Corujao epoca boa eu sempre gostava de assistir desde esta epoca dessas minhas 2 teorias de onde possa ter vivido em 2 outras vidas passadas a epoca de 1920 e a que mais me prende mais me chama a atençao...
    Se alguem tiver whats zap e quiser me ajudar ou tiver interesse tbm sobre sua vida passada deixo meu contato
    85999990231
    Obrigada!!!

    ResponderExcluir
  19. Muito bom o texto, me faz perceber que de algumas características que tenho e não faz muito sentido, como o fato de eu ter um sinal enorme no pescoço, medo de altura e de águas profundas. Afinidade com a Segunda Guerra, saudades de algo que nunca que não sei o que é, sonhos que se repetiam, assim que acordava eu me esquecia mas era tão vivo a dor, a angustia, a felicidade neles, até que comecei a ter bloqueio para sonhar e se sonho são borrões. A ultima coisa que sonhei e que é vivo na minha memória é que é dia, tem árvores, pois vejo muito verde e escuto risadas e tenho a sensação que conheço o lugar e abaixo de uma árvore tem um casal sentado em cima de uma toalha e crianças correndo ao redor mas essa parte do casal e das crianças não se projeta direito na minha cabeça e me recordo que tento ver mais do local, só que não consigo e tento recordar que local estou mas nunca consigo,mas sei que é um tempo antigo pelas as roupas que vestem como se fosse em 1940 algo assim, até acharia normal só que eu considero importante me recordar e por se repetir várias vezes esse mês. Me lembro de sonhar e eu nunca eu no sonho tenho a minha aparência que tenho, sempre são rostos diferentes e nunca a vida que levo. E não consigo explicar a minha atração por pianos, me da uma vontade de me sentar e começar a tocar, sendo que nunca fiz aulas ou convivi com piano. Fora uns dejavus que ja senti e nunca tinha visto. Se isso não querer dizer algo, eu sinceramente n sei.

    ResponderExcluir
  20. Por exemplo eu tenho gosto e afinidade pela cultura européia pela antiguidade, idade média um pouco e mais afinidades com os séculos 16, 17, 18 e 19 e a minha época favorita é 1840 o único evento histórico de que eu não gosto é o século 20 sei lá o motivo são vários para começar er um século comandado por uma ditadura de tontos e ouve nesse período a primeira e a segunda guerra mundial.

    ResponderExcluir
  21. Fico maluca quando vejo fotos do seculo passado. Assim como filmes e vestuário das mulheres daquela época. Tudo daquela época me faxina. E como se no fundo eu procurasse minha identidade. Meio louco isso.

    ResponderExcluir
  22. A única coisa que me deixa encabulado e que tenho uma lembrança muito distante de um lugar azul. Desde que me lembro por gente eu tenho essa visão de um lugar muito amplo e azul, onde não consigo me ver e nãohavia ninguém além de mim. O mais interessante nisso e que isso me vem a cabeça como uma memoria. Só isso.

    ResponderExcluir