Análise do Desenvolvimento da Tenepes

11:28:00 Administrador 1 Comments

Resumo:
Este artigo apresenta uma tabela para uma análise abrangente da tenepes servindo como ferramenta para o autodiagnóstico do desenvolvimento tenepessológico. Desse modo é possível ter uma visão clara dos atributos avançados e também primários independentemente do tempo de prática. A metodologia usada foi a análise biográfica da tenepes em conjunto com as vivências do autor. O trabalho tem por objetivo a cosmovisão visando a aferição e o consequente planejamento das autorreciclagens existenciais. De modo geral, são propostos 50 itens de análise que estão subdivididos em 3 categorias: primário, regular e avançado.

Palavras-chave:
Tenepes
Mensuração tenepessológica
Cosmovisão assistencial
Desenvolvimento parapsíquico

Introdução

Mensuração. Com o avanço da Conscienciologia e o crescimento de pessoas praticante da técnica da tenepes, surgem diversas dúvidas, indagações e questionamentos sobre o nível da tenepes. Algumas pessoas chegam ao ponto de até mesmo duvidarem se estão ou não realizando, de fato, a tenepes ou se estão se autoiludindo.
Fórmula. No passar dos anos surgiram muitos métodos, fórmulas e meios de avaliação tenepessológica. O presente artigo busca ser mais uma ferramenta de avaliação cosmológica quanto aos principais aspectos que influem diretamente nessa tarefa assistencial. Naturalmente, não se busca uma receita de bolo dentro da análise da tenepes.
Objetivo. O propósito do artigo é fornecer uma visão mais abrangente ou cosmovisão tenepessológica a cerca dos principais itens componentes da aferição da mesma para uma mensuração do nível de desenvolvimento pessoal e como instrumento de planejamento para melhorias futuras.
Metodologia. A metodologia adotada foi a análise minuciosa do manual da tenepes e dos conteúdos envolvidos com a tenepes em conjunto com a vivência pessoal do autor.
Estrutura. O desenvolvimento do artigo está estruturado em 3 partes: descrição da técnica, processo de análise e considerações finais.

I. Descrição da Técnica

Simplicidade. A princípio, a tenepes parece ser prática simplória e de fácil execução por ser basicamente a exteriorização energética com a semipossessão benigna do amparador. No entanto, a tenepes com o passar do tempo vai se tornando uma prática cada vez mais intensa e que pode ser analisada e entendida em diversas facetas e em múltiplos contextos.
Detalhes. Entre os pontos que merecem maior atenção na tarefa energética pessoal estão os detalhes. É justamente na atenção de diversos itens, que podem parecer irrelevantes ao praticante iniciante, que está a sustentação de uma tarefa assistencial que muda continuamente de nível de açodo com a responsabilidade assistencial acordada com a extrafisicalidade. Há detalhes imensos.
Classificação. Técnica de mensuração da lucidez projetiva é uma tabela de identificação de 50 itens relativos a tenepes concomitante com a análise do nível de desenvolvimento de cada um. Ou seja, já existe uma classificação prévia e não está baseada no conscienciograma e nem no processo de fazer uma autoavaliação por meio de números.
Subdivisão. Cada um dos itens está dividido em tenepes primária, tenepes regular e tenepes avançada. Dessa forma, é possível se enquadrar em qual realidade você está mais aproximado. Obviamente, pode ocorrer de alguém não se enquadrar totalmente em uma das três categorias mas serve como meio para o autoposicionamento.
Estatística. A intenção não é fazer nenhum somatório de pontos ou algum tipo de resultado numérico. Entretanto, a análise da cada item com o posicionamento em qual categoria você está pode ser feito de tempos em tempos justamente para identificar por onde os avanços estão ocorrendo. Fazer uma reflexão uma vez por ano, por exemplo, naturalmente indicará os resultados frutos do seu esforço e dedicação.



Tabela de avaliação.





TENEPES PRIMÁRIA
TENEPES REGULAR
TENEPES AVANÇADA
01. Exercícios
Sedentarismo crônico
Atividade física inconstante
Atividade física regular
02. Sexualidade
Falta até de masturbação
Falta de parceiro afetivo-sexual
Sexualidade ativa e madura
03. Alimentação
Má alimentação (ausência de carne)
Alimentação irregular (carência nutritiva)
Alimentação equilibrada e variada
04. Consciex
Medo de consciex
Pouca interação lúcida com consciexes
Relacionamento lúcido e permanente
05. EV
Não sente e nem ativa o EV
EVs fracos e irregulares
Domínio e aplicação do EV
06. Passividade
Rigidez e baixa passividade
Transe sem ou com baixa lucidez
Transe mais lúcido e afinizado
07. Recin
Estagnação das renovações íntimas
Recins crescentes
Recins avançadas e contínuas
08. Motivação
Preguiça e desmotivação
Vontade alternante
Motivação permanente
09. Potência
Exteriorização fraca
Potência energética mediana
Forte potência de exteriorização
10. Desassédio
Medo de fazer desassédio
Dificuldade e pouca experiência
Veteranismo no desassédio
11. Amparador
Dúvida se trabalha com um amparador
Sente, mas não sabe quem é
Entrosamento com o amparo técnico
12. Ortopensenidade
Pensenes patológicos sobre tudo
Poucos pensenes negativos
Criticidade sem má intenção
13. Soltura
Energia travada, baixa fluidez
Energia mais flexível, maior fluidez
Soltura energética lúcida e permanente
14. Horário
Não cumprimento dos horários
Horário com pouca flutuação
Rotina com horário fixo
15. Parapsiquismo
Parapsiquismo instintivo, embotado
Desenvolvimento parapsíquico notado
Erudição parapsíquica
16. Emocionalismo
Alteração emocional rotineira
Desequilíbrios emocionais eventuais
Serenidade e equilíbrio maior
17. Dupla Evolutiva
Vida afetiva inexistente
Afetividade regular
Afetividade madura
18. Saúde
Doença grave ou invalidante
minidoenças eventuais
Saúde física relativa
19. Dinheiro
Problemas financeiros absorvedores
Vida financeira regular
Vida financeira estável
20. Ectoplasmia
Nenhuma impressão ectoplásmica
Ectoplasmia ocasional
Ectoplasmia frequente
21. Segurança
Insegurança pessoal, medos
Segurança pessoal relativa
Segurança pessoal plena
22. Sustentabilidade
Baixa sustentabilidade energética
Sustentabilidade razoável
Mitridatismo as energias tóxicas
23. Assistidos
Nenhuma percepção dos assistidos
Percepções eventuais e incertas
Traquejo no acoplamento e diagnóstico
24. Kundalini
Kundalini insensível ou bloqueada
Kundalini ativa eventualmente
Contínua e intensa ativação da kundalini
25. Extrapolação
Ausência de extrapolação
Baixo nível de extrapolacionismo
Extrapolações regulares e avançadas
26. Local
Base física entrópica e desorganizada
Base física otimizada
Tenepessarium ideal
27. Circuito fechado
Dificuldades constantes na circulação
Circulação energética regular
Domínio da circulação energética
28. Extensão
Poucos assistidos
Auxílio a muitas consciências
Portador de Ofiex
29. Chacras
Bloqueios energéticos fortes e antigos
Poucos bloqueios
Bloqueios fugazes e efêmeros
30. Assedialidade
Assédio pessoal cronicificado
mini-assédio eventual
Desperticidade
31. Descoincidência
Pouca descoincidência ("trancado")
Descoincidência variável
Controle consciente da descoincidência
32. Insights
Precária captação de ideias
Insights esporádicos
Captação frequente de ideias de ponta
33. Universalismo
Sectário e xenofóbico
Certo nível de preconceitos
Postura universalista
34. Disponibilidade
Disponibilidade apenas na tenepes
Baixa disponibilidade mental para ajudar
Disponibilidade assistencial (24 horas)
35. Persistência
Desejo de desistir
Vontade de progredir
Até o final da vida, consolidação
36. Modus operandi
Utilização das mãos
Uso das mãos e de outros chacras
Sem as mãos ou deitado
37. Iscagem
Isca inconsciente, assedialidade
Isca consciente ocasionalmente
Iscagem lúcida
38. Telepatia
Ausência de fenômenos telepáticos
Intuições e inspirações do amparo
Telepatia direta com o amparador
39. Cosmoética
Conscin anticosmoética
Franco avanço cosmoético
Cosmoética vivida e assentada
40. Projetabilidade
Ausência de projeções lúcidas
Vivências da projetabilidade
Frequentes projeções assistenciais
41. Tanatofobia
Tanatofobia (consciente ou não)
Desassombro com a dessoma
Tanatofilia concretizada
42. Cientificidade
Postura mística frente a tenepes
Postura de pesquisador consciencial
Autoconscientização Multidimensional
43. Chacra Nucal
Bloqueio do chacra nucal
Aprimoramento do chacra nucal
Ativação e interação pelo nucalchacra
44. Tares
Praticante único da tacon
Praticante primário da tares
Praticante veterano da tares
45. Chacras Magnos
Predomínio do palmochacra
Predomínio do frontal e palmochacras
Predomínio do umbilico e sexochacra
46. Evoluciologia
Pré-serenão comum
Pré-serenão comum
De projetor lúcido para cima
47. Holocarma
Egocarmalidade (umbigão)
Atuação grupocármica
Atuante na Policarmalidade
48. Intenção
Tenepes como status
Tenepes com técnica
Tenepes como satisfação íntima
49. Ofiex
Estagnação anti-ofiex
Desenvolvimento pró-ofiex, futuro
Ofiex ativa
50. Término
Pouca ou nenhuma percepção
Eventual bem estar pós-tenepes
Banhos energéticos frequentes


II. Processo de análise

Comparação. Obviamente, a tabela apresenta uma visão de conjunto mas que deve ser analisada com atenção a cada item em particular. Ou seja, dependendo do caso ou do contexto, o item 4 (medo de consciex) pode ser uma dificuldade tão intensa que pode prejudicar a tenepes como um todo. Isto é, por mais que outros pontos estejam mais a frente o tenepessista precisará sanar essa problemática ou para alavancar os outros pontos relacionados.
Cosmovisão. Importante perceber que múltiplas análises podem ser feitas ao analisar a tabela como um todo. Ou seja, a primeira percepção é a visão de conjunto da prática e também os vários pontos que podem ser aperfeiçoados com o tempo. Naturalmente, não se espera que todo tenepessista tenha desempenhos semelhantes e nem tampouco que anular qualquer tipo de individualidade.
Dúvida. Muitas pessoas se perguntam se estão ou não fazendo tenepes. Essa dúvida, se existente, deve ser entendida, analisada e superada. Com essa análise podemos ter uma ideia do desempenho individual para trazer elementos para uma mensuração mais acurada quanto a realização da tenepes. Utilizando, por exemplo, apenas os 12 primeiros itens da tabela, todas listadas na coluna “tenepes primária”, simulando um tenepessista nessas condições:
1.      Sedentarismo crônico
2.      Falta até de masturbação
3.      Má alimentação
4.      Medo de consciex
5.      Não sente e nem ativa o EV
6.      Rigidez e baixa passividade parapsíquica
7.      Estagnação das renovações íntimas
8.      Preguiça e desmotivação
9.      Exteriorização fraca
10.  Medo de fazer desassédio
11.  Dúvida se trabalha com um amparador
12.  Pensenes patológicos sobre tudo

Qualificação. Não é possível afirmar que alguém que nos primeiros doze itens têm esse diagnóstico não está fazendo tenepes. Não apenas por ainda ter mais 38 itens a serem verificados mas porque pode estar fazendo assistência tenepessológica mais básica. Entretanto, alguém com os itens acima deve naturalmente repensar inúmeras questões de autoqualificação consciencial visando a melhoria da assistência interconsciencial.
Contraponto. Cabe a cada um identificar por si próprio se está mesmo fazendo tenepes ou não. Do modo oposto, não se deve afirmar que uma tenepes é avançada em decorrência de marcações na coluna “tenepes avançada”. Para fazer o contraponto do exemplo de tenepes duvidosa acima, segue também os 12 primeiros itens que supostamente alguém se posicionou em análise pessoal:
1.      Atividade física regular
2.      Sexualidade ativa e madura
3.      Alimentação equilibrada e variada
4.      Relacionamento lúcido e permanente
5.      Domínio e aplicação do EV
6.      Transe mais lúcido e afinizado
7.      Recins avançadas e contínuas
8.      Motivação permanente
9.      Forte potência de exteriorização
10.  Veteranismo no desassédio
11.  Entrosamento com o amparo técnico
12.  Criticidade sem má intenção

Discernimento. Por mais que as marcações sejam mais hígidas, como listado acima, cabe grande discernimento e bom senso classificar-se como “avançado”. Portanto, a proposta mais séria de toda essa averiguação não é uma definição entre primário, regular ou avançado mas a identificação de seus trafores da prática e também os trafares que dificultam o avanço rumo a ofiex, por exemplo.
Predominância. Obviamente, será muito difícil encontrar um tenepessista que em sua avaliação esteja integralmente em uma das colunas da tabela. No entanto, é importante perceber qual a coluna que predomina em ma análise com 50 itens. No caso de um tenepessista regular, na coluna do meio, perceber se existe algum item primário que seja um bloqueador real da tenepes ou mesmo admitir quais itens já executa com excelência.


Considerações Finais

Mensuração. No campo da tenepessometria, a tabela apresentada tem forte valor na percepção de questões que podem ser banalizadas no dia a dia do tenepessista e que impactam diretamente os resultados obtidos. Os 50 itens propostos contemplam o essencial no âmbito da prática e permitem uma avaliação direta e em diferentes níveis. Um tenepessista que está basicamente concentrado na coluna do meio, por exemplo, pode verificar quais as estrapolações da prática mais avançada que já possui.
Investimento. O desenvolvimento da tenepes cabe, em primeira estância, ao praticante e não aos amparadores extrafísicos. A mudança de supervisão do trabalho ocorre no ritmo das reciclagens e do aperfeiçoamento do tenepessista e todo investimento consciencial repercute de modo multidimensional. A tabela apresentada pode trazer inúmeros dados tanto de satisfação pessoal quanto de autoconstrangimento decorrente da acomodação com o passar dos anos.

Não basta apenas boa intenção e vontade para ser um bom tenepessista. Na vida assistencial multidimensional sai vitorioso quem consegue uma autanálise precisa em consonância com os ajustes próprios rumo a holomaturidade.



Esse texto traz apenas informações básicas.
Estude! Se aprofunde mais no assunto!
E não acredite em nada. Experimente!

Por Alexandre Pereira.




Referências

01. Schmit, Luimara. Tenepessograma: instrumento qualificador da tenepes; Artigo; Conscientia; Centro de Altos Estudos da Conscienciologia;  Abr. / Jun. de 2011; páginas 261 a 270.
02. Thomaz, Marina & Pitaguari, Antonio; Tenepes: Assistência Interdimensional Lúcida; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2014; páginas 164 a 176.
03. Vieira, Waldo; Manual da Tenepes: tarefa energética pessoal; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2011.
04. Vieira, Waldo; Projeciologia: Panorama das Experiências da Consciência Fora do Corpo Humano; 4 edição; Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia; Rio de janeiro, RJ; 1999; páginas 594 a 600.
05. Vieira, Waldo; 700 Experimentos da Conscienciologia. 1.058 p.; 700 caps.; Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia; Rio de janeiro, RJ; 1994; página 409.







Um comentário:

  1. Nossa amei tudo que li sobre a tenepes! Bem eu comecei a tenepes e infelizmente pareiõ pois estou em fase separação. Minhas energias e intençes andavam negativas demais. decidi então dar um tempo ate que a separação se resolva. Agora estou estudando e reciclando pois pretendo voltar. Estudar esta tabela considero que me dará um norte das questões que preciso melhorar. Obrigada

    ResponderExcluir