3 Técnicas para Sair do Corpo

18:33:00 Administrador 0 Comments


Até o presente momento não existe uma técnica que seja universal e infalível para realizar experiências lúcidas fora do corpo. Por isso, ao longo da história foram criadas milhares de técnicas e métodos que podem ser mais ou menos eficazes dependendo do indivíduo. Sem a aplicação diária e constante desses procedimentos não é possível alcançar resultados satisfatórios. Ou seja, as 3 técnicas aqui descritas para sair do corpo podem não ter resultados imediatos. Dedique pelo menos uma semana ao que achar mais interessante e acompanhe os resultados.

O tempo de prática é que irá trazer o conforto e o domínio da técnica em si de modo a alavancar resultados diversos no âmbito anímico e parapsíquico ainda que a projeção em si demore um pouco mais. Até certo ponto o ideal é o projetor ir desenvolvendo os próprios métodos e adaptando-os de acordo com suas vivências. Portanto, tenha uma mentalidade aberta para não ficar estritamente preso as técnicas apresentadas. Entretanto, também não seja ingênuo ou arrogante a ponto de mudá-las antes de ampla experimentação. Faça e vá realizando alterações pontuais.


- Técnica do Despertamento Físico Musical

Definição. Despertamento físico musical: ato de acordar o dormidor(a) intrafísico, em horário predeterminado, exatamente quando a sua consciência se encontra projetada do corpo humano, a fim de chamá-la com a rememoração completa das experiências extrafísicas.

Sinonímia: despertamento físico programado.

Períodos. O sono normal ou natural, a cada noite apresenta claramente 2 períodos distintos, já identificados cientificamente, que formam um ciclo padrão que se repete intercaladamente a noite toda:
1. Pleno. O sono pleno, sem sonhos, que acontece logo após o estado hipnagógico, de 90 em 90 minutos.
2. REM. O sono com sonhos simbólicos, quando surgem os movimentos oculares rápidos sincrônicos (REM).

Meio. Quem acorda no meio do período REM ou dos movimentos oculares rápidos sincrônicos relembra vívidas criações imaginativas e pode relatar detalhadamente muitas situações oníricas ou dos sonhos simbólicos comuns.

Fim. Acordando, no entanto, no fim do período do sono sem os movimentos oculares, o dormidor(a) pode relatar experiências da consciência projetada do corpo humano.

Fundamentos. Estes 2 princípios quanto ao momento de acordar, estabelecem os fundamentos da técnica do despertamento físico musical: acordar fisicamente a consciência colhida em sua primeira projeção, geralmente não-rememorada, da noite, depois da ocorrência do fenômeno corriqueiro das sacudidelas (mioclonias) que servem, fisiologicamente, como sinal de projeção iminente, na parte final do período do sono sem sonhos.

Horário. Antes de ir dormir, você coloca o relógio despertador para acordá-lo a 90 minutos após o início provável do momento em que você cai no sono natural da noite, hora mais certa em que a sua consciência está projetada espontaneamente, em meio a uma experiência fora do corpo humano, como acontece corriqueiramente toda noite.

Música. O despertador deve ser de preferência desses musicais, que despertam o dormidor com a execução de suave melodia. Este instrumento funcionará evitando traumas extrafísicos maiores e minimizará os efeitos indesejáveis do despertamento físico abrupto.

Processos. Eis 4 processos para despertar-lhe a consciência no momento exato:
1. Sacudidela. Pedir a alguém para sacudir-lhe o corpo físico inanimado.
2. Campainha. Encarregar o auxiliar em terra para acionar uma campainha junto ao seu corpo humano na hora certa.
3. Rádio-despertador. Deixar armado um rádio-despertador antes de ir dormir.
4. Despertador. Deixar armado um despertador comum para o horário exato.

Resultados. Tais processos também funcionam, contudo não produzem resultados tão positivos como aqueles que se obtêm com o emprego do despertador musical que funciona com os acordes de música suave, o que diminui as conseqüências negativas do despertamento violento sobre a rememoração dos eventos extrafísicos da projeção abruptamente interrompida.

Princípio. Como se observa, este método fundamenta-se racionalmente no princípio, já testado em milhares de testes laboratoriais, de que cada consciência intrafísica – homem ou mulher – se projeta, de modo espontâneo, toda noite, durante certas fases do sono natural, embora não conservando a rememoração das experiências extrafísicas no estado da vigília física ordinária.

Média. Foi escolhido inicialmente o período de 90 minutos após o início do sono natural por ser a média, ou o fato mais comum, segundo a cronologia fisiológica do sono dos dormidores em geral, permitindo atingir resultados positivos para a metade dos praticantes homens ou mulheres.

Ideal. Apesar do exposto, o melhor horário de despertamento musical no seu caso pessoal será sempre aquele que você pesquisar, identificar e preferir, ou seja, a sua hora, individualíssima, mais exata, em que a sua consciência esteja projetada, que funciona com rigor maior exclusivamente com você e que pode ser, por exemplo, 120, 180 ou 210 minutos após o início do seu sono natural a cada noite.

Surpresa. Isso significa colher de surpresa a consciência no segundo ou terceiro período de sono sem sonhos, ou segunda ou terceira projeção consciente não-rememorada da noite.

Estatísticas. Tais horários não são aleatórios, pois obedecem às estatísticas obtidas nas pesquisas das experiências dos laboratórios do sono, práticas comuns em diversos centros culturais da atualidade.

Efeitos. O rompimento suave do silêncio pelos acordes musicais provoca o despertamento físico da sua consciência, colhida de surpresa exatamente na hora em que experiencia extrafisicamente uma de suas projeções espontâneas não-rememoradas.

Benefício. Tal despertamento, embora interrompendo uma experiência extrafísica sua, trará o benefício maior de fazer a sua consciência retornar compulsoriamente ao corpo humano, inanimado na base física, com a rememoração das vivências extrafísicas completas e exatas daquele momento.

Rememoração. A técnica não constitui propriamente um método para você produzir a projeção consciente, mas um processo científico, seguro e específico de evidenciar-lhe que você pode e deve recordar as experiências que vivencia a vida toda e das quais ordinariamente não se lembra.

Autoconscientização. Este método significa, portanto, não só o despertamento físico ordinário da sua consciência, mas o despertamento maior da sua autoconscientização quanto aos fenômenos da projeção consciente humana.


- Técnica do Dióxido de Carbono

Definição. Técnica do dióxido de carbono: este gás conhecido, quando em elevada concentração nos alvéolos pulmonares (hipercapnia) e na torrente circulatória, geralmente na mistura atóxica ou sem nenhum efeito colateral sério, de 7 volumes (70%) de oxigênio e 3 volumes (30%) de dióxido de carbono (carbogênio), diminui a eficiência do funcionamento do cérebro e permite a liberação da consciência manifestando-se através do psicossoma.

Sinonímia: asfixia intencional; carbonoprojeção; fome de oxigênio; sede de ar; sufocação premeditada; técnica do anidrido carbônico; técnica do CO2; técnica hipercarbônica.

Duração. A sua inspiração, inalação ou o ato de inspirar o ar (com oxigênio) para dentro dos seus pulmões, é normalmente igual à duração da sua expiração, ou o ato de jogar o ar para fora dos pulmões.

Tempo. A retenção do ar nos seus pulmões e, portanto, do dióxido de carbono, seguindo este processo, deve ser igual à metade da sua inspiração ou mais, até 3 ou 4 vezes à duração desta, que você precisa executar, pouco a pouco, através de repetidos exercícios respiratórios.

Início. A relação do tempo entre a inspiração, o ato de reter o ar nos pulmões e a expiração deve ser, no período inicial, 12 segundos para inspirar, 48 segundos retendo o ar, e 24 segundos para expirar.

Manutenção. Com o cronômetro à sua frente, você vai aumentando, devagar, o tempo de retenção do ar nos seus pulmões, até alcançar a fase de manutenção de 16 segundos para inspirar, 64 segundos retendo o ar, e 32 segundos expirando.

Totais. Em cada sessão, conservando sempre o estômago vazio, faça 20 ciclos completos, a fim de obter resultados compensadores.

Repetições. Há praticantes que repetem os exercícios 4 vezes por dia.



- Técnica da Saturação Mental

Definição. Saturação mental projetiva: pressão da idéia da projeção consciente na mente, exercida através de todos os meios físicos, mentais e fisiológicos sadios, possíveis, durante deter minado período.

Sinonímia: estado da quase-obcecação projetiva; método projetivo direto; programa de imersão total na projeção; saturação psíquica projetiva; sistema projetivo rápido; técnica da imersão total; técnica da impregnação do subconsciente.

Atmosfera. A saturação mental promovida com a idéia da projeção consciente representa a criação da idéia-fixa ou monoideísmo sadios (não-patológicos), com a vontade deliberada de se projetar, instalando para isso a atmosfera mental adequada e impressionando, assim, a mente subconsciente, na própria casa, ou seja, na base física (holopensene) do candidato(a) à projeção.

Saturadores. Dentre os elementos saturadores adequados para você proceder à sua impregnação mental com a idéia da projeção consciente destacam-se estes 10:

01. Ambição. Alimente produtiva e ardente ambição de se projetar com elevado grau de lucidez ao modo de um materpensene do seu holopensene.
02. Concentração. Pense intensamente, ou melhor, concentre os pensamentos, em horas e locais apropriados, diariamente, no fenômeno da projeção lúcida.
03. Compreensão. Compreenda os fenômenos projeciológicos, em seus pormenores, com naturalidade, estabelecendo relações entre as projeções conscientes e as suas preocupações, interesses humanos e cogitações naturais, tais como a sua profissão, pesquisas culturais e passatempos.
04. Leitura. Leia sobre os corpos de manifestação da consciência e os múltiplos relatos existentes de projetores e de fácil consulta, seja em livros, revistas, E-Mails, Home pages e jornais. Qualquer investimento deste gênero será compensador.
05. Estudo. Estude sempre, perseverantemente, com análises profundas se possível, as ocorrências relativas às projeções conscientes.
06. Fichário. Faça, inclusive, se for o caso, uma coleção de fichas sobre os temas projetivos, compondo o seu próprio fichário de pesquisas. Tais fichas podem ser distribuídas por toda a sua casa, seja na mesinha de cabeceira, no espelho do banheiro, na escrivaninha de estudos ou dependuradas pelas paredes.
07. Gravador. Empregue um gravador de rolo, minigravador ou cassete para registrar as técnicas projetivas realizadas por você mesmo ou gravando a palavra de projetores ou projetoras e ouvindo-as incessantemente.
08. Somatório. Converse com outras pessoas interessadas no tema das projeções conscientes, sejam projetores(as) veteranos ou principiantes, estudiosos da Projeciologia, ou candidatos(as) às projeções conscientes, buscando alcançar o maior somatório possível de idéias a respeito.
09. Prática. Pratique os exercícios projetivos de maneira intensiva, sem solução de continuidade, em uma série de tentativas disciplinadas, a partir do primeiro dia do esforço de saturação mental.
10. Enraizamento. Deixe-se envolver de tal modo com o assunto “projeção consciente”, algumas horas cada dia, 7 vezes por semana, até que o mesmo passe a fazer parte arraigada ou esteja enraizado profundamente à sua vida mental e às rotinas diuturnas da sua existência, criando e fixando as neossinapses específicas a respeito.

Sonho. Através deste sistema, os processos conscienciais vão sofrendo modificações sutis. Dentro de 3 a 4 semanas, no máximo, quando sobrevém o afrouxamento do esforço concentrado, como primeiro resultado da saturação mental, se não ocorre pequena exteriorização da sua consciência lúcida, através do psicossoma, na base física, começam a surgir sonhos naturais sobre a projeção consciente. Isto significa ótimo indício de saturação psíquica e uma abertura efetiva no rumo da projeção consciente, propriamente dita.

Princípio. Há um princípio essencial: quem sonha com a projeção, mesmo que seja simples pesadelo ou sonho mau, está a caminho da produção da projeção consciente.

Heterocríticas. O método direto, entretanto, não está livre de críticas. Não é qualquer pessoa que agüenta um programa de imersão, que dá demasiada ênfase ao esforço pessoal de uma conscin inexperiente no assunto, o que provoca projeções conscientes desendereçadas ou a erraticidade da consciência projetada. Contudo, sejamos realistas e práticos: isso torna-se evidentemente secundário.


As técnicas aqui apresentadas foram retiradas do tratado “Projeciologia: Panorama das Experiências da Consciência fora do Corpo Humano” com autoria de Waldo Vieira.


Este texto traz apenas informações básicas.
Estude! Se aprofunde mais no assunto!
E não acredite em nada. Experimente!

Por Alexandre Pereira.


** Não entendeu alguma palavra? – GLOSSÁRIO.


0 comentários: